4 de agosto de 2016

Vai vender

Após fim das restrições, Ecclestone planeja vender acesso total às comunicações via rádio entre pilotos e equipes na F1

De acordo com a publicação alemã ‘Auto Motor und Sport’, Bernie Ecclestone planeja faturar com o fim do veto às comunicações entre pilotos e equipes na F1. Dirigente quer vender acesso total às conversas de rádio

Bernie Ecclestone quer faturar em cima das comunicações de rádio da F1. Após o fim do veto, o dirigente máximo do Mundial quer cobrar para liberar o acesso dos fãs a essas conversas.

Durante uma reunião do Grupo de Estratégia da F1 na semana passada, as restrições de comunicação entre equipes e pilotos caíram por terra, com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) alegando que a mudança tinha sido feita “a pedido dos times e do detentor dos direitos comerciais”.

Com o fim do veto, os times concordaram que até mesmo aquelas mensagens que não eram de conhecimento público antes das restrições sejam disponibilizadas. A ideia da FIA é fornecer “um conteúdo melhorado para os fãs e espectadores”. 

De acordo com a publicação alemã ‘Auto Motor und Sport’, Ecclestone planeja “vender” o acesso total a essas conversas entre equipes e pilotos. 

Chefe da Mercedes, Toto Wolff vê com bons olhos esse maior acesso dos fãs às conversas de rádio. 

“Nós acreditamos que é uma parte necessária do entretenimento dos fãs”, concluiu.

Fonte: Grande Prêmio

Por que eu não me surpreendo com esta possível atitude de Ecclestone?

O cara só vê dinheiro na frente. Impressionante!

Beijinhos, Ludy

2 comentários:

arthur disse...

Nada de muito surpreendente ao meu ver, pois a NASCAR, por exemplo, já faz isso se não me engano. A questão é, será que mesmo com a venda do acesso total ao rádio para os fãs, aqueles que não quiserem pagar terão também acesso, mesmo que limitado, nas transmissões? Ou ficaremos sem ouvir os "leave me alone, I know what I'm doing" da vida?

Octeto Racing Team disse...

Arthur, nem vejo problema em vender. Só acho que ele não pensou nisto antes. Foi oportunista de pensar agora.

Sua dúvida é a minha também. Quero saber o que será de nós, meros mortais, que não comprarão os rádios. Porque eu não vou comprar mesmo.

abs,

Ludy