21 de outubro de 2017

USA 2017 Kimi Räikkönen Quali Interview - It was a bit tricky



Beijinhos, Ludy

Hamilton garante mais uma pole


Hamilton mantém seu domínio e garante a pole position em Austin. A pole 72 da carreira do inglês da Mercedes. Em Austen, o moço ganhou 4 de 5 corridas disputadas.

Ao seu lado na primeira fila, Vettel vai se esforçando como pode. E acho bom conseguir segurar essa disputa até Interlagos para fazer valer as parcelas do ingresso! (Rsrsrs)

Bottas e Ricciardo dividem a segunda fila. Kimi abre a terceira fila com Verstappen ao seu lado. 

No Q1 e Q2, nenhuma supresa. As Maclarens que foram adiante até a segunda fase com Vandoorne e até o Q3 com Alonso. 

Corrida amanhã deve manter o tempo bom e no final vai ter chapéu do Eufrazino no pódio! 

By Lu

Há 10 anos...

Uma década! É inacreditável que o tempo passou assim tão rápido!!!!!

21 de outubro de 2007, um dos dias mais especiais da minha vida de torcedora. 💙

Para celebrar, este foi o tema da Semana Kimi Räikkönen 2017 (cliquem aqui se quiserem viajar no tempo).

E abaixo eu compartilho 10 fotos que eu adoro do domingo mais importante da carreira de Kimi, o dia em que ele se tornou Campeão Mundial de F1.
 

A última foto me emociona porque eu estou ali na arquibancada, com minha bandeira da Finlândia entre as bandeiras inglesa (que era para o JB, preparada pela Vick) e a espanhola (para o Alonso, preparada pela Tati). 

E eu me emociono porque às vezes, eu ainda não consigo acreditar que vivi isto de perto, foi um sonho, um presente e serei eternamente grata por este momento. Ver meu piloto favorito ser campeão mundial de F1, in loco e no meu país.

Beijinhos, Ludy

20 de outubro de 2017

Kimi by Ludy: USA 2017 - Day 2


 Beijinhos, Ludy

Não me importo

Raikkonen: Não me importo com o que os outros pensam

Piloto da Ferrari diz que está feliz com a forma como competiu nesta temporada e não se importa com o que as outras pessoas pensam

Enquanto Sebastian Vettel surgiu como um verdadeiro candidato ao título de pilotos, Kimi Raikkonen não conseguiu igualar as façanhas de seu companheiro de equipe até agora nesta temporada. Raikkonen, que ficará na Ferrari em 2018, é o quinto colocado no campeonato de pilotos, a 99 pontos de Vettel, segundo colocado, e teve apenas quatro pódios, contra 10 do alemão.

"Meu desempenho não foi muito ruim, na minha opinião", disse Raikkonen. "O que as outras pessoas pensam, não me importo. Eu sei o que posso fazer. Alguns dias são mais fáceis do que outros por muitas razões."

"Eu não estaria aqui se não me sentisse capaz de guiar bem e rápido e estar onde eu sinto que deveria estar."

Mas Raikkonen admitiu que os resultados não são os esperados.

"Se você olhar puramente pelo número de pontos, estou longe de estar onde quero, mas essa é uma combinação de muitas coisas", disse ele.

"Quando se trata da equipe e das pessoas com quem trabalho mais, estou muito feliz. Mas, como equipe, sempre queremos melhorar e isso é todo dia." 

"Não importa qual equipe você está, não há um único time que não esteja interessado em melhorar as coisas." 

"Mesmo que você ganhe e faça uma dobradinha, sempre há coisas que você pode melhorar. É uma história sem fim, especialmente neste esporte." 

"Foi um ano longe do ideal, mas é assim que é. Tentamos terminar bem e depois virar a página e começar de zero." 

A Ferrari perdeu um grande número de pontos nas últimas três corridas, devido a um acidente na primeira volta envolvendo ambos os carros em Cingapura e problemas de confiabilidade na Malásia e no Japão. 

Raikkonen se recusou a dar uma pausa sobre a situação, apesar dos resultados dificultarem suas chances de alcançar Daniel Ricciardo, da Red Bull, na classificação dos pilotos. 

"Tentamos fazer o nosso melhor o tempo todo", disse ele. "Temos que entender e resolver os problemas, mas isso faz parte da F1."

Fonte: br.motorsport.com

Eu estou tão cansada hoje que nem vou comentar nada. Não vale nem a pena mesmo!

Beijinhos, Ludy

F1 com transmissão da Netflix?

F1 confirma negociações com Netflix para transmissão em 2018

Sean Bratches, diretor comercial, ressalta intenção do Liberty Media em ampliar participação digital da F1 nos próximos anos

O diretor comercial da F1, Sean Bratches, admitiu que a categoria já está em conversas com a Netflix para um acordo de transmissão das corridas a partir do próximo ano.

A F1 vive momento de crescimento em suas plataformas digitais, com maior participação em suas redes sociais. Contudo, o objetivo dos proprietários da categoria, o grupo Liberty Media, é proporcionar um crescimento ainda mais visível no futuro próximo, o que poderá incluir também a transmissão de provas online.

“O Liberty Media sempre colocou no primeiro plano a ampliação dos canais multimídia. Acreditamos que, no mundo de hoje, haja uma maior abertura com a internet, e, nesse sentido, temos projetos em vista. Estamos discutindo também com a Netflix uma parceria para 2018, mas, no momento, não posso acrescentar mais nada. É uma situação em fase de evolução”, explicou Bratches. 

No entanto, um possível acordo de F1 com Netflix não necessariamente implicará em mudanças nas transmissões em todos os locais – uma vez que a própria empresa de streaming digital possui catálogos separados de país para país, dependendo de acordos comerciais e de distribuição. No Brasil, a Globo é a detentora dos direitos de transmissão tanto para TV quanto para internet. 

Fonte: br.motorsport.com

Pensa na realização de um sonho? Por favor, deuses do automobilismo, façam isto acontecer!!! F1 sendo transmitida pela Netflix. Quero muuuuuuuitoooooo!!!!

E se rolar mesmo, vai ser a concretização de que a Liberty Media foi a melhor coisa que poderia ter acontecido para a F1. #fato

Beijinhos, Ludy

Jenson Button: 'Losing My Dad Changed Everything' | This Morning

 

Lindinho né?!

BJuss, Tati

Fernando Alonso, one of the best? (vídeo)

McLaren, precisa perguntar!?!



Enquanto isso, em algum lugar da Inglaterra, Ron Dennis se rasga de ódio!!!!! hehehehehehe #amooo

** **

Aliás, deixo aqui todo meu amor para Zak Brown!! Ele é o CARA! hehe

Um cara que sabe o que tem em mãos e tem feito um ótimo proveito disso...

Bjuss, Tati

19 de outubro de 2017

O que eles disseram...

**

Bjuss, Tati

Casco Indy500!

**

Amooo!

Bjuss, Tati

Outubro rosa

**

Ameiiii o boné!!!

Bjuss, Tati

Kimi by Ludy: USA 2017 - Day 1



Beijinhos, Ludy

Outubro rosa na F1 #2

Eu estou amando o fato da F1 estar apoiando uma causa como a do Câncer de Mama. Eu não me lembro de algo parecido neste estilo, enfeitando paddock e colocando as equipes e pilotos para a conscientização do tema. #parabénsF1 #pink #F1 #breastcancerawareness #outubrorosa #câncerdemama #conscientização


Agora preciso falar, o tênis do Ocon e o boné do Alonso, quero os dois!!! #lindos #octéticos 

 Beijinhos, Ludy

Não esquece o jóinha e de se inscrever no canal

Nico, definitivamente, é um youtuber. Na verdade, só falta ele falar a frase que dá título para este post. Ele entrou em um looping maravilhoso de vlogs da vida dele. Super comunicativo, simples e divertido sem ser forçado, o alemão posta vlogs com sua rotina muito mais do que poderíamos esperar quando ele anunciou aposentadoria.

Tem uma equipe que o ajuda, produz, grava, edita e ele é a estrela. Na sequencia seguem os dois últimos e esse primeiro tem cenas lindas dele com as filhas, do domingo em que a equipe de Keke venceu o campeonato de DTM. 

Sério! É aquele vidão de rico que pelas lentes dele não soa ofensivo. Ele ostenta porque é assim natural. Não mostra o mega yatch para mostrar "ó como sou rico". Aquele é o mundo dele e pronto. Não é ofensivo. Esse detalhe me chama muito atenção.


E o segundo video é esse aqui com cenas preciosas também. "antes lia sobre corridas agora leio artigos como ´o que fazer quando seu bebe chora sem parar´..


by Lu

Ele fica!!!!!

**

Tem como não AMAR????

E ainda junto com a MINHA AMADA RENAULT??????????

Alonso fica!! Que venha 2018!!!!!!!!!!!!!

Bjuss, Tati

18 de outubro de 2017

8 anos...


***

Eita, parece que foi ontem...

Bjuss, Tati 

Livro do JB

Ahhhh, eu quero este livro gente!!!

Imagina quem pode comparecer à sessão de lançamento?! Queria também!!!

Detalhe para ele lembrando que hoje se completa 8 anos que ele foi campeão (senhor...como o tempo voa) e que é aniversário de 1 aninho da Storm, aquela lindeza!!!


Beijinhos, Ludy

17 de outubro de 2017

Outubro rosa na F1

Super bacana o fato do pessoal do GP dos EUA entrar na luta pela conscientização do Câncer de Mama e com isto trazer o restante da F1 com eles.

É o outubro rosa na F1. 💗👍🎀


Beijinhos, Ludy

Semana Kimi Räikkönen 2017: "21 de outubro de 2007 - Minhas lembranças"


"21 de outubro de 2007 - Minhas lembranças" by Ludy Coimbra

“Uma bandeira, um sentimento e um piloto” 

10 anos. Quando eu paro e penso em tudo o que vivi nesta última década após o título mundial de Kimi naquele dia 21 de outubro em Interlagos, meu sentimento é de gratidão. 

Quando a gente se dispõe a torcer por um piloto de F1, especialmente um que não veste as cores do nosso país, o caminho nem sempre é o mais fácil. Por mais louco que possa parecer, há no Brasil um pensamento de que se você não torce para um brasileiro na F1, você está contra o país. Nunca vi nada mais absurdo! 

F1 não é um esporte de países como o futebol. Temos pilotos e equipes. Quando escolhemos, não é a nacionalidade que importa (embora este possa ser um dos motivos para alguns, não é para mim). Vamos por talento, por carisma, por simples preferência, por qualquer outra coisa, não só baseado na cor da bandeira. 

E foi assim que Kimi Räikkönen surgiu em minha vida de torcedora, lá em 2005, disputando contra Fernando Alonso. Na época eu sofria em vê-lo naquela McLaren que por tantas e tantas vezes o deixou na mão, acompanhada daqueles motores Mercedes ainda mais falíveis. Naquele ano, 2005, Jacques Villeneuve ainda competia (piloto ao qual desde 1996 eu dedicava exclusivamente a minha torcida) e por culpa dele, quando Kimi surgiu em 2001, eu passei a ficar de olho no finlandês por conta das críticas do canadense contra a decisão da FIA em permitir um rapaz com apenas 23 corridas em competições de fórmula vir para F-1. 

Mas foi só em 2005 que o coração passou a bater mais forte quando Kimi entrava em um carro de F1. O ano mais lindo dele para mim na F1 sempre será este, lembro com o maior carinho do mundo. Apesar de toda a dor causada pelas derrotas, ele brilhou naquela temporada. Era o piloto que eu gostava na minha equipe preferida. 

Com a saída de Jacques em 2006, da forma mais cruel possível na F1 (no meio da temporada, substituído por Kubica na BMW/Sauber) eu fiquei “órfã” e na dor da ausência, Kimi preencheu o meu coração de torcedora. Coração este que em 22 de outubro assistiu pela primeira vez na vida a uma corrida de F1. E nunca mais foi a mesma. 

Passamos um ano para frente. Kimi disputando mais um título (já havia sido vice em 2003 contra Michael Schumacher e em 2005 contra Fernando Alonso), desta vez na equipe em que havia estreado naquela temporada, a Ferrari. Antes da corrida final, que seria no Brasil, tivemos aquela que para mim foi a prova que decidiu o campeonato, o GP da China. 

Na ocasião, do alto de sua soberba Ron Dennis declarou que a briga pelo título seria entre seus dois pilotos. Pois é, acho que melhor do que ninguém o chefe da equipe inglesa deveria ter feito um melhor julgamento do Iceman. Mas aí coube ao finlandês ensinar uma lição ao arrogante ex-dirigente da McLaren. E da China partimos para o Brasil, para o embate final. O tudo ou nada. E eu estaria lá. 

Eu lembro perfeitamente do frio que passei nos treinos de sexta-feira, no setor A de Interlagos, moletom, coberta em uma capa de chuva, suportando uma garoa fina e um vento que cortava a pele. No sábado já no setor B (quando ainda podíamos pagar por ele... hahaha) vi Kimi conquistar a terceira posição no grid de largada e naquele dia, saí de Interlagos com uma certeza no peito, Räikkönen seria campeão mundial. 

Domingo chegou. Amanhecemos em Interlagos. O sol começava a iluminar o circuito que mais uma vez coroaria um piloto campeão mundial de F1. Meu coração estava cada vez mais ansioso, embora minha fé continuasse forte. Lembro que do momento em que o desfile de pilotos aconteceu, até a largada, não arredei pé da grade. Em frente ao local onde eu havia colocado minha bandeira da Finlândia, de onde eu podia ver a posição de número 3, de onde Kimi largaria, lá eu fiquei. 

Vi Mark e ele se preparem, Jean Todt vir falar com seu piloto, vi David e Steve passarem para desejar uma boa corrida. Vi tudo, presenciei de perto cada segundo. Cada momento. Estava perto do Iceman no dia mais importante da carreira dele, como não pude estar com Jacques 10 anos antes (estava viajando no dia da corrida que fez de Villeneuve campeão mundial, só consegui ver a volta final). E nunca passei tanto nervoso depois que a largada foi dada. 

Do começo de corrida conservador de Kimi, dos erros de Hamilton, do momento em que o Iceman finalmente tomou a liderança, até o momento em que ele cruzou a linha de chegada e Chris Dyer finalmente confirmou que ele era o campeão mundial de F1 por um ponto, foram as 71 voltas mais longas que já passei. 

Lembro que houve um momento, faltando umas 10 voltas para acabar, meu coração batia tão forte, faltava tão pouco, que fui para o banheiro e lá fiquei por 3 voltas, não tinha coragem de ver o que aconteceria, com medo de que num simples piscar de olhos, aquele título que parecia finalmente estar chegando para Kimi, pudesse escapar novamente. Mas desta vez isto não aconteceria. Desta vez ele seria o melhor, o maior, o campeão. Tudo isto diante dos meus olhos. 

Olhos estes que não conseguiram ver o momento em que ele cruzou a linha de chegada porque estava nervosa demais. Acreditem! Hahaha... Olhos estes que não suportaram a emoção ao ouvir a voz de Chris via rádio ao avisar ao Iceman que ele era o campeão mundial. Olhos estes que viram o seu piloto favorito estacionar o carro e ser consagrado em meio a um mar vermelho de mecânicos. Olhos estes que brilharam de orgulho ao ouvir o hino da Finlândia e ver Räikkönen no lugar mais alto do pódio, como ele merecia. 

Por isto sou grata. Depois de uma década, ainda sinto a emoção daquele 21 de outubro em Interlagos. Ainda tenho aquela sensação de orgulho e alegria tomarem conta de mim. Eu sempre serei grata, porque poucos conseguem isto. E por mais que as coisas hoje não sejam como há 10 anos, eu ainda me sinto a mesma com relação à Kimi. A mesma Ludmila daquele domingo em Interlagos, abraçada a minha bandeira da Finlândia, com o sentimento de alegria transbordando porque finalmente, meu piloto favorito tornava-se campeão mundial de F1. 


********

E assim eu encerro a Semana Kimi Räikkönen 2007. Espero que todos tenham curtido relembrar o ano em que finalmente, Kimi realizou o seu sonho.

Obrigada a Jaqueline, Eric, Levi, Saima, Eeva e Soledad por terem participado comigo. #obrigada #thankyou #gracias #kiitos

Mais uma vez, Feliz aniversário Kimi!!!!

Até 2018!!!

Beijinhos, Ludy

Parabéns direto das redes sociais

O dia é do Iceman, então o mundo da F1 está obviamente (e fora dele também), desejando ao finlandês todas as boas energias possíveis.

Selecionei um pouquinho do que foi postado.

Uma publicação compartilhada por WTF1 (@wtf1official) em
Uma publicação compartilhada por FORMULA 1 SINGAPORE GRAND PRIX (@f1nightrace) em
Uma publicação compartilhada por McLaren Honda (@mclaren) em

Beijinhos, Ludy

Feliz Aniversário Iceman!!!!


38 anos hein Mr. Räikkönen!!!!! O "vovô" da F1!!! Quem diria!!! 😁

Como sempre, nós, seus torcedores, desejamos um aniversário repleto de bons momentos!

E que o ano que se inicia hoje seja melhor e melhor, sempre!!!!

Feliz aniversário!!! Happy Birthday!!! Hyvää Syntymäpäivää !!!

Beijinhos, Ludy

16 de outubro de 2017

Alonso


Bjusss, Tati

Estes Octetes...


**

Mas gente... como faz?! hehehe

Quem quer este biografia, levanta a mão!  o/

Bjuss, Tati 

Semana Kimi Räikkönen 2017: "21 de outubro de 2007 - Minhas lembranças"

Encerro a parte de convidados com a conterrânea de Kimi Räikkönen, minha amiga Eeva. 

Mais um texto especial para a SKR 2017.


"October 21st 2007: my memories" by Eeva Niemi

THE SPECIAL DAY - TURNED OUT TO BE REALLY SPECIAL DAY 

It was a sunny, late autumn day, certain serenity in the air, which is typical for northern falls before the winter strikes. 

Everybody in our family knew, mom watches F1 and today is the last race of the season. So...today evening she will be both deaf and blind what comes into other life outside of it. 

Today evening she will jump on the sofa depending on what happens in the race, chewing her finger nail, yelling, saying things that should not be said when there is young ears listening, but oh boy it's funny to see. 

On this very day, there was something different. Kids had made a cake. Mom slept late. No one disturbed. 

From the moment I opened my eyes, two things were on my mind. Coffee and why is it so silent?

Three kids of nearly same age do not let me sleep too long, they have tons of things to say when they wake up. I smelled coffee, went downstairs and heard whispering and then got overdrived with kids and dad. HAPPY BIRTHDAY MOM! 

Well..now we don't talk about numbers haha. It's like with Kimi in today's F1. Age is just a number. 

The serenity was all gone when I opened my laptop, read all the news about the events on the other side of the planet, made assumptions about the situation, knew with every cell of my body "Kimi has to win and even that's not enough". Alonso and Hamilton were both ahead of Kimi in the standings. Hamilton was almost certain champion. 

But Kimi had put up an incredible fight, annoingly steady Hamilton had made a few good errors, like a peculiar gravel trip in China. 

I prayed to all the gods I knew, hoped for more peculiar trips and in the evening, with all the kids, dog and cats and hubby, I ate the cake and jumped up and down, I watched the race of destiny. 

I felt Kimi should win this time. He had been so close, twice. The season had been full of scandals, the honest, silent, straightforward Finn should win this one. 

And the race was like the whole season in a nutshell. Massa driving ahead, but Alonso had been so suspicious after the spy scandal , I didnt believe in him. 

And then the famous "thumb slip" happened. Hamilton asking what happens, car after car passing him, few seconds of confusion, few seconds of hope. On that moment I knew Kimi would take it. 

Happy Championship Kimi! Happy Birthday mom! The moment I will never ever forget.

********

Eeva, my dearest Finnish friend, it's so good to have here on my blog again. It's always great to read your articles. I love them. What a birthday gift you got!!!! Perfect!!!

I am really glad that you were able to join us on this special celebration for the 10th annnivesary of Kimi's championship. Kiitos paljon!!!!

Beijinhos, Ludy

Potencial

Raikkonen: Temos potencial para vencer nas próximas corridas

Finlandês acredita que a Ferrari pode vencer qualquer uma das quatro últimas corridas da temporada, se puder corrigir erros e superar seus problemas

As esperanças de campeonato da Ferrari quase desapareceram nas últimas três corridas, com a equipe agora perseguindo a Mercedes por 145 pontos, enquanto Sebastian Vettel está 59 atrás de Lewis Hamilton, com 100 ainda em jogo.

Vettel e Raikkonen abandonaram na primeira volta de Cingapura, enquanto na Malásia, Vettel sofreu uma falha no motor que o impediu de fazer uma volta cronometrada e Raikkonen enfrentou uma questão similar que o impediu de começar a corrida.

Então, no Japão, a Vettel começou em segundo lugar, mas abandonou cedo após uma falha na vela de ignição, enquanto Hamilton venceu e Raikkonen se recuperou do 10º no grid - tendo tomado uma penalidade de cinco posições devido a danos causados em seu acidente no TL3 - para terminar em quinto.

Quando perguntado qual das quatro últimas corridas - Estados Unidos, México, Brasil e Abu Dhabi - oferece à Ferrari a melhor chance de vitória, Raikkonen disse: "Qualquer uma delas, enquanto fizermos o melhor possível”.

"É um pouco desconhecido, as pistas são diferentes umas das outras. Então, vamos começar do zero em todos os fins de semana e faremos o melhor que pudermos para evitar problemas e erros". 

A Ferrari tinha um carro capaz de ficar entre os primeiros em Cingapura e, indiscutivelmente, na Malásia, enquanto no Japão, deveria ter empurrado a Mercedes com força. 

Mas os problemas do motor, o erro do piloto e o infortúnio contribuíram para a Ferrari marcar apenas 22 pontos nessas três corridas, em comparação aos 105 da Mercedes. 

"Eu não sei o que vai acontecer - ninguém sabe", disse Raikkonen sobre as chances da Ferrari no campeonato de construtores. 

"Mas eu sei que vamos empurrar até a última volta da última corrida e ver onde acabamos. Não fizemos as melhores corridas ultimamente, mas acho que temos velocidade quando colocam as coisas no lugar certo - isso é pelo menos algo positivo".

Fonte: br.motorsport.com

Kimi realmente acha que ele tem alguma chance de lutar por vitórias até o final da temporada?


Beijinhos, Ludy

Semana Kimi Räikkönen 2017: "Há 10 anos..."


Encerro este post de vitórias de Kimi com vídeos do dia em que, por conta das seis conquistas no lugar mais alto do pódio (ao lado dos outros seis resultados durante toda a temporada de 2007), o Iceman conquistou a chance de comparecer ao FIA Gala e receber suas homenagens e troféu como campeão mundial de F1.

FIA GALA 2007



Beijinhos, Ludy

"Que dó!!!"

Ecclestone: “Liberty Media não me quer nas corridas”

Ex-chefão da Fórmula 1, britânico de 86 anos fala de sua saída do campeonato e relacionamento com novos comandantes

Bernie Ecclestone quebrou o silêncio após sua saída da Fórmula 1. O britânico, que completa 87 anos no fim deste mês, falou como foi tirado da posição de administrador dos direitos comerciais do campeonato pelos novos donos da F1, o grupo Liberty Media.

"Não escolhi sair, fui demitido", disse Ecclestone ao Daily Mail, revelando os detalhes de como se viu longe da F1.

"Chase (Carey) me ligou no domingo e disse: ‘Posso te ver amanhã?’ Ele disse que viria ao escritório. Eu disse: ‘Sim, eu estarei lá’.” 

"Ele disse: ’Você sabe que completamos o acordo na sexta-feira?’ Eu disse: ‘Sim, parabéns’. Ele disse: ‘Eu preciso que você não seja mais o chefe executivo. Esse é o trabalho que eu quero’.” 

"Eu disse que ele havia comprado o carro e também poderia dirigi-lo. Eu me demiti. Eles tinham todos os documentos para isso. Foi uma surpresa, porque me disseram que queriam que eu ficasse em um contrato de três anos. Eu poderia ter feito um barulho, mas não fiz.” 

"Se a bota estivesse no outro pé, eu não teria feito isso da maneira que eles fizeram. Eles teriam trabalhado comigo por seis meses para ver como seria.”

Fonte: br.motorsport.com

Duvido que na vida toda do Bernie até hoje, ele já não agiu com outras pessoas como o pessoal da Liberty agiu com ele. Duvido mesmo, ainda mais um cara que sempre foi movido pelo dinheiro. 

Não é certo mostrar a porta da rua desta forma para ninguém, mas eu sinceramente não acredito quando Bernie fala que não faria o mesmo. Du-vi-do!!

Beijinhos, Ludy

Semana Kimi Räikkönen 2017: "Recordando..."


"Um força de vontade absurda toda vez e uma atitude de nunca desistir: este é Kimi. De tempos em tempos desde que ele começou no kart, ele continuava girando o volante enquanto as rodas estivessem funcionando. Eu acho que é aquele estilo finlandês de espírito lutador obstinado dentro dele que nós chamamos de 'sisu'.

Paula Räikkönen - Janeiro de 2013

E assim encerro estes posts de recordações. Com uma frase de Paula Räikkönen sobre a força de vontade de seu filho. 

Ninguém melhor do que Paula para descrever o Iceman e sua personalidade, sua carreira e especialmente o ano de 2007, onde ele lutou até o final, literalmente.

Beijinhos, Ludy

15 de outubro de 2017

Semana Kimi Räikkönen 2017: "21 de outubro de 2007 - Minhas lembranças"


"21 de outubro de 2007 - Minhas lembranças" por Eric Oliveira

Meu 21/10/2007 

Aquele dia sem dúvida foi dia um muito especial, a começar pela noite anterior... como que dorme sabendo que o piloto pelo qual você torce tem uma remota chance de ser campeão? Com os pensamentos a mil, pensando em cada possibilidade que poderia acontecer na corrida, pois mesmo que pequena, a chance existia e isso já bastava, na época eu tinha 16 anos, e tinha que conter todo aquele misto de sensações dentro de mim, até porque ninguém que eu conhecia gostava de F1, minha única comunicação era com o pessoal do Orkut no grupo do FKR, nessa época eu não tinha internet em casa, então sempre que Kimi tinha uma corrida boa, ou muito marcante, na tarde depois dos GPs eu corria para um cyber/lan house que ficava perto de casa e ia comentar no grupo com a mesma galera de sempre, enfim... 

Voltando ao dia 21/10/2007, independe do resultado, eu iria correr no cyber naquela tarde para comentar novamente, aquela corrida foi tão difícil, não digo nem por Kimi, que fez uma largada espetacular e quase pula pra ponta, ou também pelo fato de que Lewis erra logo na curva 4, e seis voltas depois tem um problema que sinceramente eu tenho que dizer que pulei feito louco!! Hahaha... as chances que eram pequenas, de repente cresceram e começaram a existir de fato, e a sorte finalmente sorria para aquele piloto que tinha aquela fama de azarado. 

A corrida em Interlagos costuma ser das mais rápidas do calendário, mas essa, parece que não acabava nunca, foram mais de 60 voltas com o coração saindo pela boca, primeiro torcendo para que Hamilton não recuperasse as posições que precisava para ser campeão, segundo o trio global o tempo inteiro despejando energia negativa pelo fato de que o companheiro do “amado Felipe” seria campeão, e terceiro porque quem é fã de Kimi Raikkonen sabe mais do que qualquer outro torcedor que a corrida só acabar quando o finlandês cruza a linha de chegada (2005 deixou uma cicatriz muito profunda em nossos corações rsrs...), enfim... a corrida se desenrolou exatamente como mandava o script, a Ferrari inverteu as posições de maneira que ninguém pudesse questionar nada, já que o jogo de equipe estava proibido naquela temporada, e com isso a ansiedade apenas aumentava, Kimi virava líder da prova, Lewis estava brigando lá atrás, Alonso não demonstrava nenhuma ameaça, e Raikkonen estava cada vez mais próximo do título, cada volta era mais longa que a seguinte, depois daquela segunda metade de campeonato incrível que ele fez, não seria justo que algo acontecesse, mas a insegurança como sempre falava mais alto, até que a corrida finalmente acabou e Kimi Raikkonen se tornava o campeão mundial da Formula 1 de 2007.

Nossa, juro que não soube descrever o misto de emoções que eu senti naquele momento, depois de tanto sofrimento, de tantas corridas injustas, ele finalmente conseguiu, foi difícil de conter a emoção, ver o piloto que torcia no degrau mais alto do pódio e como campeão mundial, foi algo difícil de descrever, parecia um sonho, engraçado como alguém que nem sabe da nossa existência causa isso na gente, um sentimento tão bom, uma felicidade sem tamanho, e foi mais ou menos isso que senti naquele momento. 

Acabada a transmissão da Globo, na mesma hora eu queria correr pro Cyber pra comemorar com os únicos amigos que entenderiam tal emoção, mas ainda estava fechado, tive que me contentar em ficar êxtase em casa mesmo, enfim... até o momento que o cyber abriu, e pude comemorar mesmo que com palavras escritas a tão esperada vitória. Lembro que na página do FKR já tinha um tópico aberto com o título “É CAMPEÃOOOO”, muitos comentários postados comemorando, eu enfim pude me sentir “em casa”, comemorando com a galera a tão sonhada vitória. 

Engraçado que naquela época nunca passava pela minha cabeça beber, se esse campeonato tivesse vindo nos dias atuais, com certeza eu comemoraria ao estilo Kimi Raikkonen, com muita vodka até cair!! Hahahah... deixemos isso em off... 

Logo em seguida também a McLaren reivindicou o fato das BMW’s estarem correndo com combustível resfriado, alegando que aquilo era ilegal, nessa hora novamente a insegurança bateu, pois seriam duas possíveis posições que Lewis poderia subir e o título passaria para ele, o coração novamente voltou a acelerar, porém não demorou muito para que a FIA declarasse que tudo estava de acordo, e que Kimi era o legítimo campeão de 2007! Kimi o título é seu e ninguém nunca vai mudar isso, teu nome está na história desse esporte eternamente. 

Lembro também que naquele dia vi o Fantástico inteiro só para ver a matéria completa que sairia em torno do nosso finlandês, mais uma noite difícil de dormir!! Hahaha... confesso que aquilo parecia um sonho, no dia seguinte a mesma coisa, Globo Esporte, até o Jornal da Globo no final da noite hahahah... em uma época que ter internet em casa ainda não era tão comum, era o único meio que a gente tinha para poder viver aquele momento o máximo possível. 

Enfim, essa é a minha lembrança desse dia tão especial. Obrigado Ludy mais uma vez pelo convite, é sempre uma honra participar em momentos do Octeto e desse finlandês que já nos deu muitos momentos de alegria. 

Bjo meninas. 


******** 

Eric tem sido parceiro há alguns anos já. Corrida chega e corrida vai estamos nós lá sofrendo juntos via mensagem inbox ou na timeline do Facebook. E nas semanas sem corrida também, porque precisamos xingar a Ferrari, é nossa terapia! hahaha...

Seu texto me trouxe lembranças meu companheiro, memórias boas de uma dia inesquecível. Obrigada mais uma vez por topar estar por aqui.

Beijinhos, Ludy