Kimi ansioso pela aposentadoria

F1: Raikkonen releva estar ansioso para aposentadoria 

Piloto finlandês confirmou há alguns meses encerraria sua carreira no fim de 2021 

A aposentadoria é sempre um momento de emoção e nostalgia, embora o caso de Kimi Raikkonen na Fórmula 1 pareça um pouco diferente. O finlandês garante que está ansioso para "tudo acabar logo". 

Raikkonen chegou à categoria máxima do automobilismo mundial no início de 2001 defendendo a Sauber. Depois de apenas um ano lá, ele deu um salto importante na direção da McLaren, equipe com a qual conquistou suas primeiras vitórias e seus primeiros pódios, pouco antes de ingressar na Ferrari e conquistar o título de 2007. 

Depois desse sucesso, o piloto finlandês continuou várias temporadas na categoria antes de fazer uma pausa entre 2010 e 2011. Após esses dois anos tentando outras modalidades do automobilismo, Raikkonen decidiu que o melhor para ele era retornar à F1, onde permaneceu até hoje. 

Aos 42 anos e com a sensação de ter cumprido a sua longa carreira na categoria, o piloto da Alfa Romeo confirmou há alguns meses que iria encerrar a sua carreira assim que terminasse a temporada de 2021. 

Falando sobre a aposentadoria na coletiva de imprensa antes do GP da Arábia Saudita, o piloto finlandês explicou como foi a despedida de sua equipe em Hinwil (sede da Sauber/Alfa Romeo) na sexta-feira passada. 

"Não tem muito o que contar. Obviamente foi bom ver todas as pessoas, foi a última vez que fui lá, então fui com a família, fiquei um tempo lá e vi todas as pessoas." 

"Sim, foi bem legal. Quer dizer, não importa como parecia, era lindo e acho que os pensamentos eram os mais importantes daquele momento e foi muito bom", acrescentou ela. Obviamente, o momento da aposentadoria é sempre emocionante e especial para qualquer atleta de elite, embora, neste caso, o homem de gelo tenha garantido que não sentiu absolutamente nada de especial, muito pelo contrário. 

"Eu não sei, por que você tem que ficar animado com isso? Quer dizer, estou ansioso para o fim, estou feliz que tudo vai acabar logo. Então não é nada triste, não há nada de errado com isso. Na verdade, eu acho que é uma coisa boa", disse o finlandês. 

Quando questionado se verá as 23 corridas da F1 em 2022, Raikkonen respondeu: "Tenho certeza que não. Provavelmente verei algumas, mas não todas. Você sabe, veremos, veremos o que acontece." 

Fonte: www.motorsport.uol.com.br 

É impressionante como o tom da matéria é depreciativo. Eles fazem parecer que somente pelo fato de Kimi reagir diferente com relação a sua aposentadoria, ele é desumano.

Depois de todos estes anos e ainda não aprenderam a lidar com o Räikkönen.

Beijinhos, Ludy

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por aí...

Bastidores da Nascar

Foi convencido