Contra o coronavírus

Covid-19: Respirador desenvolvido com auxílio da Mercedes é aprovado para uso no Reino Unido

Ferramenta que auxilia pacientes infectados pelo Covid desenvolvido com o apoio dos engenheiros da Mercedes foi aprovado para uso no Reino Unido

Com o contínuo impacto da pandemia do Covid-19 ao redor do mundo, as equipes da Fórmula 1 se comprometeram a emprestar suas capacidades de engenharia para ajudar os serviços de saúde, através do "Projeto Pitlane".

Em conjunto com engenheiros mecânicos da University College de Londres, a equipe de unidade de potência da Mercedes-AMG ajudou a desenvolver um respirador. O equipamento, chamado de Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP, em inglês) foi criado para ajudar manter os pacientes com Covid-19 fora das Unidades de Terapia Intensiva, e já está sendo usado na Itália e na China.

Segundo a Universidade, 50% dos pacientes que usaram o CPAP não precisaram de ventilação mecânica invasiva. Com o Reino Unido sofrendo com uma falta de equipamento, os engenheiros trabalharam direto no campus da UC no projeto, e conseguiram finalizar a produção do primeiro equipamento com menos de 100 horas da primeira reunião, feita na quarta, 18 de março. 

O equipamento recebeu a aprovação da Agência Reguladora de Remédios e Produtos de Cuidados com a Saúde. Cem unidades serão usadas no hospital da UC para testes clínicos antes de ser distribuído pelo país. 

"A comunidade da F1 mostrou teve uma resposta impressionante à chamada por ajuda, se juntando no 'Projeto Pitlane' para ajudar coletivamente o país nesse momento de necessidade em diversos projetos", disse Andy Cowell, chefe da divisão de motores da Mercedes. "Estamos orgulhosos de termos colocados nossos recursos à disposição da UC para produzir o CPAP com a maior qualidade possível no menor tempo". 

O professor de Engenharia Mecânica da UC, Tim Baker, acrescentou: "Dada a necessidade urgente, estamos muito felizes de conseguir reduzir um processo que levaria anos para apenas dias". 

"Após o briefing, trabalhamos direto todos os dias, desmontando e analisando um aparelho. Usando simuladores de computador, melhoramos ainda mais o equipamento para criar uma versão ideal para produção em massa". 

"Nós tivemos o privilégio de contar com a capacidade da Fórmula 1 - uma colaboração que foi possível pela proximidade entre o departamento de Engenharia Mecânica da UC e a divisão de motores da Mercedes". 

O governo solicitou a produção de 10 mil respiradores com um consórcio que inclui as sete equipes britânicas da F1, além de empresas como a Airbus, BAE Systems e Ford. Oficiais do governo preveem que serão necessários 30 mil respiradores, sendo que, no momento, 8 mil estão em uso, com outros 8 mil já pedidos para fornecedores de outros países. 

Dick Elsy, chefe do consórcio, disse: "Esse consórcio junta algumas das equipes mais inovadoras do mundo. Estou confiante que esse consórcio tem as habilidades e ferramentas para fazer a diferença e salvar vidas".

Fonte: motorsport.uol.com.br 

Caramba!!! Isto é legal demais! Mas muito legal mesmo!!!!! Usar a tecnologia, o talento e a capacidade dos engenheiros da F1 para ajudar quem realmente está precisando no momento. Bacana mesmo!


Beijinhos, Ludy

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para Lu... um Feliz Aniversário!!!!!!

Lu, parabéns pelo seu dia!!!!