Velocidade e Batom: Minha opinião sobre o filme “Ford vs Ferrari”

Minha opinião sobre o filme “Ford vs Ferrari” by Ludy Coimbra

Desde o primeiro trailer que eu assisti de “Ford vs Ferrari” eu estava super ansiosa para ver o resultado final. E ontem foi o dia de poder finalmente ir ao cinema para conferir o que Matt Damon e Christian Bale fizeram. Então abaixo segue o que consegui rabiscar para vocês. 

Para quem não sabe, “Ford vs Ferrari” do diretor James Mangold, conta a história de como a companhia de carros norte-americana fez de tudo e mais um pouco para se inserir no meio das competições de carros de endurance com um único objetivo, derrotar a hegemonia da Ferrari nas 24 Horas de Le Mans em 1966. 

Para quem como eu, vive o automobilismo, o filme é uma delícia de se ver porque a gente que curte e entende, sente a história de uma forma muito mais intensa. Mas ainda que você nem sequer saiba o que são as 24 Horas de Le Mans, o lado hollywoodiano do filme com certeza vai te cativar. 

Falando do filme em si, para mim, o que mais marcou foram as relações humanas da história contada na telona. A amizade de Ken (Christian Bale) e Shelby (Matt Damon), o amor/parceria entre Miles e Mollie (Caitriona Balfe), a relação linda de pai e filho entre o piloto britânico e Peter (Noah Jupes), a lealdade, a inveja e a luta pelo poder, as decisões corporativas que passam por cima de tudo e todos. 

O filme para mim vai além do automobilismo. Na verdade, acredito que o pano de fundo é sim a luta incessante pelas vitórias e o desejo de ser o melhor, de superar o adversário e o concorrente, mas sinceramente, eu saí do cinema com a sensação de que as relações humanas em meio a um ambiente onde tudo que importa é vencer e se mostrar superior, foram ainda mais importantes do que os resultados em si. 

E para exemplificar isto, menciono a cena final entre Shelby e Ken, assim que a corrida em Le Mans se encerra e eles têm que lidar com o acontecido. Aquela conversa ali é o exemplo de como a maneira como a gente escolhe agir diante das coisas que acontecem na nossa vida, é o que mais importa. 

Em resumo, eu adorei o filme. As cenas de Ken e Peter foram as minhas preferidas. Ele ensinando ao filho sobre como percorrer o circuito de Le Mans, ou a cena deles sentados na pista do aeroporto onde conversam sobre como visualizar uma corrida, foram tão lindas. 

Também não posso deixar de mencionar a sensibilidade da cena de Ken Miles dentro de seu carro, o exato momento em que ele está tomando a decisão que é primordial para o encerramento da corrida. A escolha de Sofia. Ele tomou a decisão dele e eu sinceramente, não sei o que teria feito. Talvez a mesma que ele, mas caramba, não deve ter sido fácil. A atuação de Bale faz a gente sentir o sofrimento de Miles. 

Outra cena que merece minha menção, o diálogo final entre Shelby e Peter. Damon como sempre arrasando nas cenas dramáticas e o pequeno Peter, como uma única frase, uma simples constatação, com a visão do menino que viu tudo aquilo acontecer diante de seus olhos, mais uma vez comprova que as relações humanas fizeram deste filme algo especial. 

No final das contas, corridas, títulos, vitórias, derrotas, disputas acirradas, tudo isto faz do automobilismo uma paixão, mas são as pessoas por trás dos pilotos, das equipes, dos carros e das decisões que mudam a história destas pessoas, que fazem deste esporte algo tão especial. 

Beijinhos, Ludy

Comentários

Anônimo disse…
O filme e otimo Ludy. Mas a parte q mais gostei foi o motor ferrari estorando no retao de Le Mans Hehehe. abs Ludy
Andrey Neves
hahahaha...sempre bom ver a Ferrari perder né?! hahaha

bjs, Ludy

Postagens mais visitadas deste blog

Para Lu... um Feliz Aniversário!!!!!!

Historinhas... é a vez de Niki Lauda