30 de agosto de 2018

Mesmo discurso

Räikkönen descarta, mas pondera sobre saída da F1: “Talvez um dia eu acorde e não seja tão rápido” 

Kimi Räikkönen deu indícios de que deve seguir na Ferrari em 2019, ao ser questionado durante a entrevista coletiva desta quinta-feira (30), em Monza. Mas não cravou sua permanência, apenas descartou uma possível saída da F1 de imediato

A tradicional entrevista coletiva dos pilotos desta quinta-feira (30) em Monza teve Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, mas ainda não serviu para a Ferrari anunciar que ambos vão seguir como dupla da escuderia italiana em 2019.

O finlandês, porém, deu indícios de que isso deve ocorrer. O finlandês não cravou seu futuro, mas descartou uma saída imediata da F1 - mesmo ponderando sobre quando isso deve ocorrer: "Eu não acho que eu pilote de forma diferente de dez anos atrás. Eu ainda me sinto competitivo."

"Do contrário, eu não estaria mais aqui. Talvez um dia eu acorde e não seja tão rápido, mas não sei ainda quando será esse dia", seguiu.

Em seguida, Räikkönen voltou suas atenções para o presente: o GP da Itália do próximo final de semana. E analisou a Ferrari em relação ao principal rival: a Mercedes. 

"Nosso carro é melhor em um final de semana, no outro não, estamos próximos desta forma. São as pequenas diferenças que vão ditar o resultado final. O que podemos fazer é dar nosso melhor e ver onde terminamos no domingo", comentou. 

"Mas não estou focado neles. Se quiser saber deles, pergunte a eles. Não me importo com o que dizem", completou. 

Por fim, fez comentários sobre a pista em Monza - da qual é muito fã: "É difícil analisar. Não acho que tenha ido bem nos últimos anos aqui. Mas sempre gostei de corrrer aqui", disse. 

"É um bom circuito e não muito longe de casa. Cheguei ao pódio uma vez com a Ferrari, ou duas, mas não fui bem como gostaria", seguiu, para finalizar sobre como acha que pode bater Vettel na Itália: "Você pode esperar qualquer coisa aqui."

Fonte: Grande Prêmio

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: