1 de julho de 2018

P2

Räikkönen lamenta falta de tempo para atacar Verstappen, mas valoriza pódio duplo da Ferrari na Áustria

Kimi Räikkönen acredita que, se tivesse atacado Max Verstappen mais cedo, poderia brigar de verdade pela vitória. Não aconteceu e o finlandês terminou em segundo no Red Bull Ring, um resultado celebrado

Kimi Räikkönen superou expectativas ao terminar o GP da Áustria deste domingo (1º) em segundo, mas acha que dava para ir ainda além. 

O finlandês lamentou não começar a ofensiva contra Max Verstappen mais cedo, decisão tomada para assegurar que os pneus aguentariam até a bandeira quadriculada.

“O carro estava muito bom, mas nós ficamos sem voltas”, disse Räikkönen. “Acho que a gente levou a corrida numa boa por muito tempo. É uma pena, mas o carro estava bom até o fim. É um resultado bom para a equipe”, seguiu.

Além de Räikkönen em segundo, a Ferrari também teve Sebastian Vettel em terceiro. O resultado ficou ainda melhor para os italianos por causa do abandono duplo da Mercedes, com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas.

Mas o bom resultado de Kimi quase virou história na largada. O finlandês arriscou ao tentar passar Hamilton e Bottas nos primeiros metros, correndo o risco de causar um acidente. 

“Eu precisei tirar o pé um pouco [na largada] porque eles iam me espremer e eu já tinha tomado a decisão [de tentar passar]. Mas fiquei com medo de que eles fossem me acertar. Depois eu escapei e perdi posições”, encerrou. 

A próxima etapa da F1, o GP da Inglaterra, acontece já no próximo fim de semana, em Silverstone.

Fonte: Grande Prêmio

O jeito que este pessoal da imprensa trata Kimi, como se ele fosse um piloto qualquer, me enoja. O tom deste texto, como se Kimi fazer boas provas fosse milagre...


Mas vamos falar da prova?!

Confesso que assustei com a largada ousada do Iceman, não estava esperando e adorei, mesmo que no final ele tendo que tirar o pé e se arriscando muito, foi bonito de ver.

A corrida foi normal para ele, mas achei que foi um bom resultado. Duas provas em que ele não teve interferência da equipe para ceder posições e dois bons resultados.

No final, fiquei ainda esperançosa com uma pequena chance de luta por vitória. Mas era realmente difícil. Mais um pódio para conta (96º) e mais uma volta rápida (46ª).

E não, não falarei sobre as declarações do chefe de equipe dele sobre ordens de equipe e afins porque sinceramente, só de pensar me dá náuseas.

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: