31 de dezembro de 2017

Tchau 2017...




O ano de 2017 foi difícil, mas tudo isso era de se esperar com mais uma temporada da parceria com a Honda... quebras, erros, punições infinitas, corridas sem largada... enfim, mais do mesmo...

O que não era esperado, foi a emoção que nós, fãs do automobilismo e em especial os alonistas, tivemos ao ver Alonso brilhar e fazer o mundo ficar aos seus pés com a surpreendente e emocionante ida até a Indy.

Nada que vivi até hoje na F1 com Alonso, nem mesmo os títulos, foi tão especial como tudo que vivi naqueles 15 dias INTENSOS da Indy 500.


Aquele nosso momento era totalmente diferente do que tínhamos vivido nos gloriosos tempos de "vacas gordas" onde vitórias e pódios eram coisa normais aos domingo. Não, o que vivenciamos nos EUA foi como um alento e um renascimento do amor, paixão e emoção pelo automobilismo, porque finalmente, depois de anos de "injustiça" o esporte estava "devolvendo" ao Alonso o respeito que ele sempre mereceu. Obviamente a vitória não veio, e acho que ela poderia sim vir, mas também acredito que ela já nem era tão importante assim. Ver o carinho e a consagração dele como pessoa e piloto, fez valer cada momento, mesmo com a Honda decepcionando no ato final.

Além disso, rádios e memes inesquecíveis não faltaram. As vezes fico aqui pensando: como as pessoas demoraram TANTO para descobrir "este" Alonso?!


Bom... e se o ano de 2017, como alonsista, me trouxe um novo amor que foi a Indy500, o ano de 2018 traz de volta um amor antigo... daqueles que a gente vive sonhando e querendo de volta, daqueles tão arrebatadores que a gente nunca esquece.

Bienvenue Renault, e que 2018 seja recheado de lutas, desafios e muitas, muitas vitórias...

Como nos bons e velhos tempos!

Bjuss, Tati

Nenhum comentário: