27 de julho de 2017

Kimi, Fernando e Vettel a favor do halo

Vettel: Se oferecessem o Halo a Justin Wilson, ele aceitaria  

Tetracampeão do mundo diz que não há dúvidas na introdução do protetor de cockpit: “seria ignorante e estúpido ignorar”

A obrigatoriedade do Halo a partir do ano que vem na Fórmula 1 dividiu opiniões no paddock de Budapeste nesta quinta-feira (27). Após algumas críticas, Sebastian Vettel saiu em defesa do dispositivo.

Segundo ele, o Halo poderia ajudar a salvar a vida de Justin Wilson, morto em uma corrida da Indy em Pocono em 2015 após ser acertado na cabeça pelo bico do carro do norte-americano Sage Karam.

"Não há dúvidas em introduzir ou não", disse Vettel antes do GP da Hungria.

"Se você oferecesse isso a Justin Wilson há algum tempo, ele aceitaria. Ficaríamos felizes em aceitar para ajudar a salvar a sua vida. Não podemos voltar no tempo, mas sabendo que temos algo para nos ajudar em certos cenários, seria ignorante e estúpido ignorar."

Fernando Alonso também concorda que, se o Halo pudesse ajudar a salvar a vida de um único piloto, então valeria a pena usá-lo.

"Eu sou a favor e sou positivo sobre o Halo", disse o espanhol. "Eu acho que se uma proteção extra em nossas cabeças pode salvar uma vida, vale a pena.”

"Infelizmente, perdi alguns amigos e alguns colegas na minha jornada, como Justin Wilson e Jules Bianchi. Em alguns acidentes isso poderia ajudar. Em termos de estética, é difícil agradar o mundo inteiro e isso nunca acontecerá.”

"Lembro-me de 50 anos atrás. A Fórmula 1 não tinha cintos de segurança. Hoje em dia, com as mídias sociais e todas essas coisas, as pessoas começariam a dizer que 'a Fórmula 1 deveria continuar sem cintos de segurança', porque os pilotos estão se movendo e esse é o DNA da Fórmula 1. Isso não é verdade.”

"Se houver um dispositivo que melhore a segurança, vamos colocá-lo e então vamos cuidar da estética no futuro".

Emoções não desaparecerão

Embora alguns pilotos pensem que a F1 será menos emocionante por conta de redução do perigo, Daniel Ricciardo não está tão convencido.

"O perigo com certeza dá excitação, mas para mim o perigo não é ser atingido na cabeça com uma roda.”

"O perigo é chegar com o carro no limite e quase bater em todas as curvas de um circuito de rua, ou saber que se você vai para uma ultrapassagem você pode acabar batendo."

Kimi Raikkonen também não viu nenhuma desvantagem no Halo.

"Eu não acho que isso nos incomodará de maneira direta. Nós nem vamos notar. Eu acho que toda a conversa sobre isso - que prejudica a visão - é uma tolice. As pessoas que escrevem nunca dirigiram um carro de F1.”

"É puramente por segurança e acho que é uma coisa boa. Se pudermos evitar um acidente grave por causa disso, acho que é o preço a pagar com certeza."

Fonte: br.motorsport.com

Verdade Kimi, eu nunca dirigi um carro de F1 na vida, mas não acho que o halo vá ser tão eficiente em termos de segurança assim.

Pode ajudar em uma situação ou outra, e é claro que eu quero carros seguros, mas no caso de um Jules Bianchi (como o Fernando citou), não adiantaria, infelizmente.

É esteticamente feio sim e não acho que seja a solução.

Desta vez não concordo nem com você, Vettel ou Fernando. O halo não é a melhor opção. Não sei qual seria, mas esta escolhida eu não acredito ser.

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: