10 de outubro de 2016

Agora quer entender né?

Mercedes defende disputas duras, mas justifica queixa contra Verstappen: “Só precisamos saber o que é permitido”

Chefe da Mercedes, Toto Wolff se disse partidário de disputas duras na pista, mas avaliou que é preciso entender onde estão os limites do regulamento. Equipe de Brackley se queixou da atuação de Max Verstappen contra Lewis Hamilton em Suzuka, mas acabou voltando atrás e retirando o protesto

Chefe da Mercedes, Toto Wolff explicou as razões por trás do protesto apresentado a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) em relação à atuação de Max Verstappen no GP do Japão. A própria equipe, aliás, retirou a queixa na entidade máxima do esporte.

Na parte final da corrida, durante a freada da chicane de Suzuka, Verstappen começou a trocar de trajetória, uma forma de impedir uma ultrapassagem de Lewis Hamilton. Pego de surpresa, Lewis precisou usar a área de escape para evitar um acidente.

Após a prova, a Mercedes apresentou uma queixa contra a atuação de Max, mas, como os dois pilotos já tinham deixado o circuito, a FIA adiou a decisão para a prova de Austin. A escuderia alemã, no entanto, voltou atrás e removeu o protesto. 

Antes de o protesto ser confirmado pela FIA, Wolff justificou ação da Mercedes, alegando que é preciso entender onde está o limite. Questionado sobre o que pensava da atuação do piloto da Red Bull, Toto reconheceu que gosta do estilo do holandês. 

“Obviamente, sou tendencioso e você vai ficar surpreso com a minha resposta. De coração, sou um corredor e eu amo corridas duras. Ele é revigorante”, comentou. “Ele defende muito duro, o regulamento diz outra coisa. O regulamento diz que você não pode se mover na freada, mas isso não foi penalizado até agora, então acho que nós só precisamos saber o que é permitido ou não. De novo, do meu ponto de vista, disputas duras são Ok”, continuou. 

Em seu protesto, a Mercedes apontou o Artigo 27.5 do regulamento da F1, que diz que “em momento algum, um carro pode ser guiado desnecessariamente lento, de forma erradica ou de maneira que possa ser considerado potencialmente perigoso para outros pilotos ou qualquer outra pessoa”. Não há um artigo que aborde especialmente a movimentação no momento da freada. 

Fonte: Grande Prêmio

Quer dizer que agora tem que entender o que pode e o que não pode, Toto? Mas pelo que me lembro, quando aconteceu com Kimi você disse que Max era apenas um garoto talentoso, como você repetiu acima.

Ah entendi... agora foi com Hamilton a manobra do mimadinho da Red Bull. Ah tá... agora está explicadinho!


Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: