8 de setembro de 2016

Vendida!

Grupo norte-americano Liberty Media confirma compra de maior parte das ações da CVC e assume comando da F1

A venda da F1 é uma possibilidade discutida, muitas vezes com ar sério, há pelo menos dois anos. Mas nesta quarta-feira (7), depois da intensificação dos rumores, foi confirmada: a Liberty Media, grupo de comunicação norte-americano, é o novo dono da F1 num acordo superior a R$ 20 bilhões.

A informação foi dada primeiro pela CNBC, braço de negócios da rede de TV norte-americana NBC. Com a confirmação, a Liberty assume controle de 18,7% da F1 com efeito imediato por um valor de R$ 2,4 bilhões totalmente pago em dinheiro - que no total é R$ 2,6 bilhões, considerando um desconto de R$ 243 milhões que a Liberty vai repagar, quando a aquisição estiver completa, a acionistas que estão despejando ações. Por enquanto, a CVC segue no comando da F1. Isso vai durar até que o acordo esteja completamente pago. A expectativa é que aconteça no primeiro quadrimestre de 2017.

O pagamento da Liberty à CVC se dará, segundo a CNBC, por cerca de R$ 3,5 bilhões em dinheiro, R$ 447,7 milhões em ações do grupo, R$ 1,1 bilhão em instrumento de dívidas passíveis a ser definida pela F1 e que depois será transformado em ações da Liberty Media. O grupo também assume a dívida total que tem a F1, algo próximo de R$ 13,3 bilhões.

O diretor-executivo e presidente da Liberty Media, Greg Maffei, tratou de destacar como a experiência da companhia com negócios esportivos será importante no momento de transição da F1. "Estamos animados para nos tornarmos parte da F1. Pensamos que nossa perspectiva a longo prazo e expertise com mídia e ativos esportivos vai nos permitir ser bons fiscais da F1 e beneficiar fãs, equipes e nossos acionistas. Estamos ansiosos para trabalhar próximos a Chase Carey e Bernie Ecclestone para ajudar na próxima fase do crescimento deste enormemente popular esporte global".

O vice-presidente executivo do estúdio de cinema 21st Century Fox, Chase Carey, é o escolhido para se tornar o novo presidente da F1. Como informado por ele mesmo mais cedo, Bernie Ecclestone por enquanto vai permanecer como o diretor-executivo da categoria por mais tempo - três anos, segundo o próprio.

"Estou animado em assumir o papel de presidente da F1 e ter a oportunidade de trabalhar ao lado de Bernie Ecclestone, CVC e a Liberty Media", falou Carey, o novo presidente. "Eu admiro a F1 como um esporte global e franquia de entretenimento que atrai centenas de milhões de fãs de todo mundo a cada temporada. Vejo uma ótima oportunidade de ajudar a F1 a continuar o desenvolvimento e prosperar para o benefício do esporte, dos fãs, dos times e dos investidores".

Após o acordo para se tornar dona da F1, a Liberty Media mudará o nome oficial da categoria para Formula 1 Group. A CVC passará a ser dona de 65% das ações do Formula 1 Group de acordo com o contrato de equidade, mas ficará sem controle das ações de voto da companhia. Além disso, a CVC terá um representante dentro do conselho diretor da Liberty Media.

"Quero dar as boas-vindas à Liberty Media e Chase Carey na chegada à F1. Estou ansioso para trabalhar com ambos", disse Ecclestone. Ao passo que o copresidente da CVC, Donald Mackenzie, seguiu. "Estamos deliciados que Chase Carey está se juntando à F1 como novo presidente. Chase é experiente e tem um conhecimento do esporte, da mídia e do entretenimento tão grande quanto dá para ser. Estamos muito satisfeitos de garantir seus serviços", declarou o executivo.

"Bernie tem sido um diretor-executivo fantástico para nós nos últimos dez anos. Tivemos muitas histórias de sucesso e desafios ocasionais, mas nunca algo fora de propósito e nunca deixamos de nos divertir. As habilidades combinadas de Chase e Bernie têm o significado de que o sucesso vai continuar - e desejamos o melhor a eles", seguiu Mackenzie.
"Queremos agradecer Peter Brabeck-Letmathe por sua contribuição fenomenal durante sua estada como presidente. Sua liderança serviu a companhia muito bem, e estamos animados que ele vai continuar em nossa diretoria como um diretor não-executivo", encerrou o homem da CVC.

A Liberty é do estado norte-americano do Colorado e se dividiu em braços que controlam um império das telecomunicações. Entre Liberty Capital, Liberty Interactive Group e Liberty Global, a companhia é um das donas da Discovery Communications, é dona dos canais de TV norte-americanos DirecTV Sports, Starz, da empresa de radiofusão SiriusXM, além de filiais da gigante CBS e do Atlanta Braves, franquia de beisebol. A Liberty também é dona de pequenas porções de gigantes como Time Warner e Viacom.
(fonte: Grande Prêmio)

***

Não tenho nenhum conhecimento desta área empresarial, não sei como será ou como funciona a empresa, mas CARA... a F1 precisa melhorar e atrair mais público e nos respeitar mais, como fãs!

Eu não gosto de americano, mas eles sabem como ninguém mexer com entretenimento... então se melhorar, terá sempre meu apoio!

Será que podemos ter esperanças?!

Bjuss, Tati

Nenhum comentário: