9 de junho de 2016

Sem problemas

Derrotado em 2014 na Red Bull, Vettel diz que “não se importaria” em formar dupla com Ricciardo na Ferrari

Sebastian Vettel afirmou que não se importaria em voltar a formar dupla com Daniel Ricciardo. Tetracampeão, no entanto, disse que não interfere na opção da Ferrari e também avaliou que seria bom manter Kimi Räikkönen

Sebastian Vettel garantiu que não rejeitaria a ideia de voltar a formar dupla com Daniel Ricciardo. A dupla dividiu as atenções na Red Bull na temporada 2014.

Até aqui, o australiano é o único piloto a ter batido Vettel em uma disputa entre companheiros de equipe. Em 2014, Daniel somou 238 pontos e ficou com o terceiro posto no Mundial de Pilotos. O germânico, por outro lado, somou apenas 167 e fechou o ano com o quinto lugar na classificação.

Ainda sem contrato para 2017, Ricciardo é alvo de muita especulação, inclusive sobre uma eventual mudança para a Ferrari. 

Questionado sobre a possibilidade de voltar a dividir equipe com Ricciardo, Vettel respondeu: “[Quando] corri com ele em 2014, não tivemos nenhum problema — e eu o conhecia antes disso”. 

“Eu não me importaria, gosto dele, acho que é um cara forte e, obviamente, teve uma boa temporada em 2014. Ano passado e este são sempre um pouco mais difíceis de julgar, porque você não sabe o que acontece internamente, mas, pelo que sei, ele é um cara legal”, comentou. “De novo, não é minha decisão. Meu trabalho não é contratar pessoas. Não conversei com o time e esse não foi um assunto que surgiu até aqui. Acho que, no momento, estamos ocupados o bastante tentando reduzir o atraso. Essa é a prioridade principal”, seguiu. 

Vettel destacou, também, que não tem nada para resolver com Ricciardo depois de ser batido pelo australiano em 2014. 

“Acho que deixei 2014 para trás e olho para isso de uma maneira diferente das pessoas e da maneira como elas se lembram”, comentou. “Pois, no fim, você sempre pega o resultado bruto — uma abordagem bem simples, mas nem sempre é assim tão simples. O mesmo acontece em um dia de testes. Quando você diz que alguém está na primeira posição, ele está na primeira posição por muitas razões, talvez não porque ele seja mais rápido”, seguiu. 

Por fim, Sebastian afirmou que ficaria feliz em manter Kimi Räikkönen como companheiro de equipe. A própria Ferrari, aliás, já falou em seguir com o finlandês no time. 

“Eu, certamente, não me importaria”, garantiu. “Nós, definitivamente, nos damos bem. É muito fácil trabalhar com ele, pois você não tem de se preocupar com nenhum truque ou jogos que são potencialmente uma distração para completar o trabalho”, concluiu.

Fonte: Grande Prêmio

Como se Vettel fosse dizer que haveria problemas né?!

Este povo da imprensa acha que os pilotos não sabem a intenção das perguntas deles.

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: