26 de maio de 2016

Coluna "O que elas pensam?" By Lu

Vida privada versus vida na pista

Quando uma empresa contrata qualquer um de vocês. Pensem em todos os contratos de trabalho que já assinaram na vida. Sei que vocês tem todas as profissões possíveis aqui. Alguma vez algum deles tinha uma cláusula sobre como vocês se comportariam fora do horário de trabalho? 

O mais perto que tive de uma cláusula assim foi quando um contrato com uma empresa de comunicação comprava meu intelecto e eu não poderia escrever para lugar mais que não fosse para eles. Até justo, o valor pelo meu intelecto e escrita que estavam baixos, mas entendi o sentido daquela cláusula.

Nós, na nossa maioria, não somos pessoas famosas e não vivemos de nossas imagens, marcas não nos pagam acreditando que nossa imagem vai fazer com que os produtos deles pareçam mais legais e que vendam mais. Na nossa maioria, multidões de pessoas não querem ser como somos nós e que tudo que fazemos e que fica público não influencia ninguém. 

Ufa! Não sei se saberia lidar com a responsabilidade que uma visibilidade dessas dá. Se forem pensar, todos que são públicos e que tem seguidores e fãs tem um puta responsabilidade nas mãos. 
 
Bem, mas esse é um blog de F1 e as colunas tecnicamente tem que falar do esporte. E essa vai, eu juro.

Li uns boatos na semana passada e no início dessa semana que Hamilton não participaria do Gp de Mônaco por conta de seu comportamento em algumas festas em Cannes. Na hora vi que o negócio era mentira. Imagina que uma equipe grande e disputando título com os dois pilotos iria punir um deles por uma festa. Ok, que não vivemos mais a era da liberdade a la James Hunt - os pilotos que ja passaram pelas mãos de Ron Dennis que o digam! - mas ninguém nunca foi tirado de um GP por conta de uma noitada.

Boatos, Luane! Boatos,sim. Concordo, mas eles indicam que as pessoas cogita essas coisas e que elas não estão tão absurdas assim quanto pensamos. Sabe quando falei sobre o troço de vincular a imagem da pessoa a marca e fazer com que venda mais por a pessoa ser legal? Até onde vai isso e onde começa a liberdade do piloto de fazer o que o livre arbítrio dele permite, incluindo fazer bobagem? 

A vida é feita de ação, reação e de lidar com essa reação. Não acho que todo mundo tenha que farrear loucamente, mas se algum dia, algum piloto for limado pela equipe por uma festa que fez em horário de folga eu vou ficar fula. E vocês o que acham?

By Lu

Um comentário:

Sabrina disse...

Talvez eu seja simplista demais, mas nesse caso das festas, eu realmente não ligo.
O problema é que hoje as pessoas julgam demais as figuras publicas. É só ver como jogadores de futebol são condenados aqui no brasil só por ir num bar sendo que no dia seguinte eles nem vão jogar.
O hamilton e os outros pilotos tem que dar explicação se as atitudes deles atrapalharem seu desempenho. Mas fora do ambiente de trabalho eles tem que fazer o que acham melhor
Deus me livre ser uma figura pública que é vigiada praticamente 24h por dia. Fico sufocada só de pensar nisso hahahaha