30 de abril de 2016

Satisfeito

7º por punição, Vettel admite que esperava se ver mais perto da Mercedes, mas torce por corrida forte e limpa em Sóchi

Sebastian Vettel queria ver a Ferrari mais perto da Mercedes em Sóchi, mas não lamentou a punição que tomou pela troca do câmbio ou os problemas de confiabilidade. O alemão segue acreditando no potencial ferrarista e prevê uma corrida forte, mesmo saindo da sétima posição

Dono do segundo melhor tempo na fase final da classificação em Sóchi, neste sábado (30), Sebastian Vettel admitiu que gostaria de ver a Ferrari um pouco mais perto da Mercedes, mas disse também que ficou satisfeito com a boa recuperação feita pela equipe de Maranello depois dos problemas de confiabilidade que enfrentou nos treinos da sexta-feira. Ainda que não tenha conseguido se aproximar dos rivais, o alemão fez uma avaliação positiva do desempenho do carro vermelho para o GP da Rússia, apesar da punição que o jogou para a sétima colocação do grid.

A equipe italiana precisou trocar o caixa de câmbio da SF16-H #5, o que gerou a perda de cinco posições para Sebastian. Questionado se sentia frustrado pelos problemas, o tetracampeão negou. "Realmente não me sinto assim. Claro que essas coisas não são legais, porque não tornam a vida mais fácil, mas podem acontecer, faz parte do jogo", afirmou o ferrarista.

Falando sobre o treino decisivo em si, Vettel garantiu que o tempo de 1min36s123 foi o máximo que deu para fazer e que a segunda posição, ainda que virtual, também foi no limite, ajudada pela ausência de Lewis Hamilton, que ficou de fora do Q3, depois que o motor da Mercedes apresentou problemas.

"Acho que fizemos o máximo que deu na ausência de Lewis. A nossa recuperação foi boa depois do que aconteceu ontem, mas Nico está particularmente forte aqui." 

"Eu teria gostado mais se tivéssemos uma lacuna menor para a Mercedes, mas Nico fez um trabalho excelente, especialmente no Q2. Não fosse a punição, estaríamos mais perto, largando do lado limpo da pista. De qualquer forma, acho que teremos uma boa corrida aqui", completou Sebastian. 

"O carro é bom, estamos trabalhando muito para tirar a diferença para os nossos rivais. E já sabíamos que sairíamos um pouco mais atrás, mas, ainda assim, espero uma corrida forte aqui e limpa, sem problemas, porque ainda não tivemos uma prova livre de contratempos", concluiu.

Fonte: Grande Prêmio

Era o que dava para fazer, já que desde ontem Vettel sabia da punição. 

Ficar na pole (quase impossível) ou em segundo (como ele ficou) era o máximo que dava para fazer para diminuir o peso das posições perdidas depois da classificação, por conta da troca da caixa de câmbio. 

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: