5 de abril de 2016

Azedou...

Ecclestone mostra irritação, vê pilotos como mercenários e dispara: “Eles só têm interesse no dinheiro do esporte”

Na esteira da carta aberta escrita pelos pilotos da GPDA clamando por mudanças sensíveis na gestão da F1, Bernie Ecclestone, que deu razão aos competidores, desta vez mostrou irritação com os protagonistas do espetáculo e os colocou na posição de mercenários do esporte

Cada vez mais, a F1 vai ganhando um cenário político relativamente tenso entre os pilotos e os dirigentes que regem os rumos do esporte. Um novo capítulo deste embate foi escrito por Bernie Ecclestone, que disparou contra os competidores no fim de semana do GP do Bahrein e disse que “eles sequer deveriam ser autorizados a falar”.

Tudo eclodiu depois do fracassado novo formato de classificação, que fez sua estreia no GP da Austrália. Sem anuência da maioria dos pilotos, o novo sistema foi em frente, mas desagradou não só os competidores, mas também chefes de equipes e dirigentes da categoria.

Em carta aberta, a GPDA, Associação dos Pilotos da F1, reclamou da gestão da categoria, considerada pelo grupo como “obsoleta e mal estruturada”, gerando muita repercussão porque foi, na prática, um raro posicionamento global dos pilotos desta geração a respeito dos rumos do esporte.

À época, Ecclestone acenou de forma positiva e respondeu à carta concordando com o posicionamento dos pilotos. A emissora BBC teve acesso ao documento. "Nem sempre é fácil concordar com vocês, mas vocês estão corretos", escreveu o britânico de 85 anos. "Devemos, como vocês disseram, instigar os proprietários e os acionistas da F1 a considerar uma reestruturação de comando", completou.

Em seguida, Bernie pede que os pilotos comecem também a sugerir mudanças. "É fácil analisar o que está errado. E ao menos, é melhor pensar antes de desejar algo."

Mas quase duas semanas depois, Ecclestone esbravejou contra os pilotos e os colocou na posição de mercenários do esporte, dando a entender que os protagonistas do espetáculo não têm interesse algum pela categoria que não seja o de ganhar dinheiro.

“Que tipo de interesse eles têm, os pilotos, que não seja o dinheiro oriundo do esporte? Eu nunca vi nenhum deles colocar um dólar nisso, você vai jantar com eles e nem sequer pagam. Eles não devem mesmo sequer ser autorizados a falar. Eles devem pegar o carro e pilotá-lo”, esbravejou. 

Sebastian Vettel, um dos pilotos mais próximos a Bernie, disse, também na esteira do GP do Bahrein e de um novo fracasso do treino classificatório, que a proposta sugerida por Ecclestone e também por Jean Todt, presidente da FIA, de um sistema que compreende a soma dos dois melhores tempos de cada piloto em cada uma das fases da sessão para definir o grid, é “uma ideia de merda”, acirrando ainda mais o ambiente efervescente e evidenciando uma cisão entre dirigentes e os pilotos do Mundial. 

Fonte: Grande Prêmio

Xiiiii... agora o bicho vai pegar! rsrsrs...

Eu concordo com Vettel, esta ideia é uma merda mesmo, mas também acho que no que diz respeito ao dinheiro, Bernie também tem razão. Muitos deles só pensam no que vão ganhar, estão pouco se importando com o resto.

O que não concordo é que os pilotos não possam opiniar, que devam só aceitar e pilotar. De jeito algum. Eles precisam agir, dar sugestões, oferecer soluções, ou seja, eles precisam se envolver com o esporte além das pistas.

As coisas chegaram a este pé porque ao longo dos anos eles deixaram de lutar, de se colocarem contra as coisas quando era preciso, foram passivos demais. Por isto que agora Bernie fala isto.

Aposto que só para irritar os pilotos, Bernie vai obrigar o Conselho Mundial a manter o sistema de classificação. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Beijinhos, Ludy

Um comentário:

Julia Souza disse...

Eu acho isso de Hamilton por exemplo,para mim ele usa a f1 para ganhar dinheiro e usar a fama que tem para ganhar holofote, mas acho que pilotos como Vettel e Alonso amam realmente o esporte e a categoria.