17 de março de 2016

Esperar para ver

Räikkönen se esquiva e pede tempo para avaliar real potencial da Ferrari contra Mercedes em 2016

Enquanto Sebastian Vettel falou em altas expectativas sobre o ano da Ferrari em 2016, Kimi Räikkönen procura ser mais cauteloso e ainda prefere não traçar nenhuma perspectiva sobre o real potencial da nova SF16-H contra a rival e dominante Mercedes. O ‘Homem de Gelo’ prefere esperar e ver

Kimi Räikkönen quer esperar um pouco mais para entender qual é o real potencial da Ferrari e o quanto a escuderia de Maranello melhorou e se aproximou da Mercedes neste começo da temporada 2016 do Mundial de F1. Na visão do finlandês de 36 anos, só mesmo o tempo vai responder à pergunta mais frequente das últimas semanas sobre o esporte.

O ‘Homem de Gelo’ garantiu o tempo mais rápido dos testes de pré-temporada em Barcelona, alcançando a marca com pneus ultramacios, os mais rápidos da F1 em 2016. Os testes de inverno foram considerados muito positivos pela Ferrari. Entretanto, Kimi prefere manter uma postura cautelosa e realista e aguarda para o primeiro confronto de verdade contra a Mercedes de Lewis Hamilton e Nico Rosberg.

“Nós não sabemos onde nós estamos. As pessoas perguntam onde nós estamos, mas isso não mudou desde os testes, ninguém realmente sabe. Nós só vamos ter uma ideia neste fim de semana, mas espero estarmos mais fortes do que nos últimos anos. É o tempo que vai dizer”, disse o piloto mais velho da F1 atual durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (17) em Melbourne, palco do GP da Austrália.

Quanto às novas regras da F1 para 2016, no que diz respeito ao novo formato de classificação e o conjunto de restrições nas comunicações via rádio entre pilotos e equipes, Räikkönen também quer esperar para julgar as modificações. 

“Vai ser mais difícil ou um pouco mais diferente. Não sei como isso vai funcionar. Se não tivermos problemas sobre nada, não deve ser muito diferente, mas se acontecer muitas coisas na corrida em si, então isso pode se tornar um pouco complicado”, salientou o finlandês ao falar das restrições do uso do rádio na F1 a partir deste ano. 

“É uma daquelas coisas que você não sabe muito bem como vai ser. Quanto à classificação, não tenho a menor ideia. Sei tanto quanto as outras pessoas. Nós temos de ver como isso vai se desenrolar e o quão diferente isso é. Espero menos carros no fim da classificação, mas nos primeiros minutos vai ter muito mais carros na pista. Mas se vai ser pior ou melhor, nós vamos ter de ver”, finalizou.

Fonte: Grande Prêmio 

Sobre a questão da evolução da Ferrari e se ela vai brigar mais com a Mercedes, sou como Kimi, melhor esperar para ver. Assim se evita decepções e problemas. Que com ele acontecem sempre, desde que ele voltou para esta equipe.

Sobre o novo sistema de classificação não pensamos igual, vai ser uma droga. Só isto que falo. Ficarei contente se não for, mas...

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: