24 de fevereiro de 2016

Cockpit protegido para temporada 2017

FIA confirma mudanças radicais nos carros da F1 e introdução de proteção ao cockpit para temporada 2017

A FIA vai mudar radicalmente o visual dos carros para a temporada 2017: pela primeira vez na história da F1, os pilotos terão alguma espécie de proteção específica para a cabeça. Além disso, a aerodinâmica dos bólidos será melhor desenvolvida, garantindo tempos de volta melhores

As mudanças da F1 para 2017, que em certo momento não pareciam ser das maiores, vão mudar radicalmente o visual dos bólidos da categoria. A FIA, através de um comunicado, anunciou nesta quarta-feira (24) a intenção de aplicar diversas mudanças na aerodinâmica dos carros, além de tornar realidade a tão discutida proteção à cabeça dos pilotos. Somando todas as novidades, a entidade espera que os carros sejam 3s mais velozes por volta.

A FIA escolheu o Halo como modelo a ser introduzido na F1. O conceito não fecha completamente o cockpit, mas permite uma maior proteção à cabeça dos competidores – questão que passou a ser debatida com maior intensidade após a morte de Jules Bianchi e Justin Wilson. A entidade segue aberta para novos conceitos, que vão seguir sendo avaliados, seguindo o desejo dos competidores do certame.

Em termos de aerodinâmica, a FIA vai trabalhar para deixar os carros mais rápidos. A asa traseira vai ficar mais baixa e larga – lembrando um pouco o regulamento aerodinâmico vigente até 2008. A largura na parte de trás ganha 200 mm, indo de 750 para 950 mm e sua altura diminui de 950 mm para 800 mm. Também terá dimensão distinta a dianteira, que atualmente mede 1.650 mm, e vai para 1.800 mm.

Os pneus serão mais largos, garantindo mais aderência e maior velocidade nas curvas – outra solução muito utilizada no passado, mas que caiu em desuso recentemente. Os produtos oferecidos pela Pirelli vão ficar mais encorpados: a borracha dianteira vai passar dos atuais 245 mm para 305 mm no ano que vem; já os traseiros, pulam de 325 mm para 405 mm. A fábrica italiana já havia se mostrado aberta às novidades, mas reclamava da falta de clareza da FIA.

O encorpamento dos carros, aliás, é generalizado: os bólidos serão maiores e mais pesados. Atualmente com 1,40 m, o carro será esticado em mais 20 cm em sua largura para que tenha um máximo de 1,60 m. E também vão ganhar uns quilos a mais em 2017: hoje com um mínimo de 702 kg, terão 722 kg em 2017, contando com o peso dos pneus.

“Novos regulamentos para carenagem foram adotados para criar carros mais atraentes, entregando mais downforce, aumentando as velocidades e diminuindo tempos de volta. A FIA, equipes e fornecedor oficial de pneus vão manter as conversas rumo à melhor solução para testes de novos pneus exigidos, como parte do regulamento”, detalhou o comunicado da FIA. 

A McLaren apresentou anteriormente uma proposta para que os bólidos da F1 tenham um aumento de 25% no downforce. Apenas Mercedes, Red Bull e Toro Rosso votaram contra. Com o apoio da maioria das equipes, a Comissão da F1 aprovou. Caso novas propostas de mudanças para 2017 ganhem força, estas devem ser debatidas até 30 de abril. 

O tempo hábil para as alterações, todavia, é curto. Antes das novidades de 2014, por exemplo, foram três anos para criar novos motores e repensar a aerodinâmica. Agora, as equipes terão apenas um ano e nada mais para desenvolver conceitos novos em cima dos carros atuais. As escuderias de menor porte já andaram reclamando da mudança de última hora.

Fonte: Grande Prêmio 

Olha sinceramente, eu entendo a necessidade de uma maior proteção do piloto, as questões de segurança, mas gente, sério, não dá para acreditar que um carro de F1 será como o da foto acima a partir do ano que vem.

Não dá, é feio, é estranho, não é um carro de F1, me desculpem. E o mais importante de tudo, atrapalha a visão do piloto, gente!!!!!

Não sei o que poderia ser feito no lugar, não vou fingir que sei, mas o que está na foto acima é simplesmente inaceitável, na minha opinião. 


Beijinhos, Ludy

Um comentário:

Marilia Lisieux disse...

Feio e atrapalha a visão. Ponto.