2 de janeiro de 2016

Continue a nadar, continue a nadar...

Alonso mantém fé em ano completamente diferente para McLaren e fala em “soluções lógicas” para evoluir motor Honda

O mais difícil dentre os anos vividos por Fernando Alonso na F1 definitivamente ficou para trás. Ano Novo, vida nova, diria o próprio bicampeão, que sonha com dias melhores em 2016. Mais do que isso, o piloto espanhol abre seu segundo ano como piloto da McLaren disposto a viver dias mais competitivos. Para tal, Fernando acredita muito na capacidade de trabalho não apenas do time de Woking, mas, principalmente, da Honda.

Alonso mantém a fé em um ano completamente diferente para a McLaren e espera que a fábrica de Sakura consiga recuperar os 2s de desvantagem que tem em relação às outras fornecedoras de motor do Mundial: Renault, Ferrari e Mercedes, algo que ficou muito evidente em velocidade em linha reta.

Confiante no potencial de evolução da Honda, Alonso deixou claro que não espera grandes mudanças em termos de chassi, mas aposta todas as suas fichas em contar com um motor mais confiável e, principalmente, mais potente em relação ao que a fábrica japonesa entregou no seu retorno à F1 em 2015.
 “Não tivemos como melhorar o carro em algumas partes do ano. Está um pouco mais claro para nós quais são os pontos fortes do carro e temos de explorar um pouco mais nesta direção”, declarou o piloto em entrevista veiculada pelo site da revista britânica ‘Autosport’ neste sábado (2).

“Sabemos que a unidade de potência tem sido nossa principal limitação, então não vamos ter mudanças radicais para 2016 em termos do carro, projeto e filosofia. Sabemos do déficit que nós temos nas retas em comparação com outros carros”, salientou.

“Então, se nós aplicarmos algumas das soluções, e tudo funcionar conforme o esperado, o ganho em tempo de volta vai ser muito grande. Há soluções que são lógicas e que parecem boas, então é manter a motivação bem em alta porque acho que 2016 será um ano completamente diferente”, disse Alonso, exaltando sua fé em um ano muito melhor para a parceria McLaren-Honda.

Em 2015, Alonso somou apenas 11 pontos na temporada, obtendo como melhor resultado o quinto lugar no atípico GP da Hungria. Mas o ano difícil ficou para trás e, para Fernando, eis que tudo se fez novamente novo.
  
“Passamos por alguns momentos bem difíceis, mas acho que aprendemos a partir disso. Nos mantivemos unidos, trabalhando em harmonia e isso foi o principal. O negativo foram os resultados”, lembrou, também deixando claro que espera que a Honda melhore além dos 2s previstos pela McLaren para que, de fato, 2016 seja mesmo um ano mais forte para todos.

“Todo mundo vai melhorar entre 0s5 e 1s. Conosco, como estamos 2s atrás em termos de ritmo, temos de melhorar mais do que 0s5 ou 1s. A unidade de força é a principal coisa para destravar esse potencial”, finalizou.
(fonte: Grande prêmio)
***

A vida do Alonso neste momento...



Bjuss, Tati

Nenhum comentário: