18 de dezembro de 2015

Ferrari OU Mercedes? E precisa perguntar?!


Filho de Schumacher, Mick vive dilema entre escolher Mercedes ou Ferrari para dar continuidade à carreira na F4

Depois da estreia nos monopostos, por meio da F4 em 2015, campeonato em que fechou na décima colocação, Mick Schumacher agora está dividido entre dois caminhos para seguir a carreira no esporte. A jovem promessa alemã, filho do heptacampeão, Michael Schumacher, defendeu a equipe Van Amersfoort e deve continuar na categoria no próximo ano uma vez mais, mas também estuda a possibilidade de correr na versão italiana da F4, o que pode aproximá-lo de eventual vínculo com a Ferrari. A informação está em uma matéria do jornal 'Kölner Express'.

De acordo com a reportagem, o piloto de apenas 16 anos está em um dilema entre escolher entre a marca vermelha, que consagrou seu pai na F1, e a Mercedes para guiar seus passos em direção ao objetivo de andar no Mundial no futuro.

A continuidade com a Van Amersfoort significa um envolvimento com a estrutura montada pela marca de Stuttgart, enquanto um eventual acordo com a Prama na F4 italiana pode viabilizar um a aproximação com a equipe mais tradicional da F1.

Na verdade, Schumacher vive um episódio semelhante ao vivido por Max Verstappen no ano assado, quando decidiu entrar para o programa de jovens pilotos da Red Bull, depois das várias ofertas que recebeu da Mercedes, que possui também seu próprio trabalho com competidores novatos.

De qualquer forma, não está descartada a possibilidade de Mick também disputar a F4 na Itália em 2016, em busca de uma maior experiência. E uma vez concluída a fase na categoria, o próximo passo do jovem deve mesmo ser a F3 Europeia.

"Espero que Mick permaneça aqui. As discussões seguem em andamento, nada está decidido ainda. Mas tudo indica que ele vai continuar por aqui", afirmou Lars Soutschcka, responsável pelo campeonato alemão.


"Ele é um dos maiores pilotos da F4. E se continuar, será um sério candidato ao título", completou o chefe Frits van Amersfoort.
(fonte: Grande Prêmio)

***

Mick, possa te dar um conselho: NÃO VÁ para a ferrari. Se for, vá no fim de carreira quando você não tiver de provar mais nada a ninguém. Caso contrário ...

E eu vou apontar minhas razões:

1. Seu pai é DEUS na ferrari. O que ele conseguiu, ninguém fará igual (a não ser que Bernie queira). Você terá uma pressão IMENSA e desnecessária nas suas costas. Você não é seu pai, mas será COBRADO como se fosse.

2. A ferrari não vale merda NENHUMA (razão mais importante). 

3. A ferrari poderá destruir sua carreira, porque por lá só presta os que se vendem a ela (exemplos: Massa, Irvine, Rubinho) ou então, enquanto ela puder te SUGAR, para depois culpar depois, caso as coisas deêm errado.

3. A Mercedes te tratará melhor do que a ferrari. Qualquer equipe é mais digna do que a ferrari. Até a mais escrota é mais digna.

4. A ferrari não vale merda nenhuma. Oops, desculpa... eu já falei isso, né?! Mas não custa só reforçar! hehe

Só fico triste que Schumi não esteja participando deste processo... triste!

Desejo sorte ao Mick!

Bjusss, Tati

3 comentários:

Anônimo disse...

Concordo plenamente com você. A Ferrari costuma acabar a carreira de alguém. Pode parecer até ingratidão da minha parte, porque ninguém foi mais feliz na Ferrari do que um torcedor do Schumi, mas o que aconteceu alí naqueles bons tempos foi trabalho dele também. Tô cansada de ler matérias que dizem que foi a Ferrari que consagrou ele. Eu não sou fã do Alonso, mas aprendi a gostar dele e respeito o piloto que ele é. E o que a Ferrari fez com ele é de causar indignação a qualquer fã de Fórmula 1. Por favor, menino, converse com o Alonso!
Paula Ferraz

Sabrina disse...

Infelizmente eu acho q ele vai acabar indo pra ferrari, ainda mais com esse problema de saude do pai. Só espero q ele esteja preparado pra ficar aguentando caras do tipo do arrivabene jogando shade nele o tempo todo. Não é a toa q essa equipe é uma das mais odiadas da f1 (se nao for a primeira ne)

Vanessa Santos disse...

Eu também acho que ele vai acabar indo pra Ferrari. Pra mim o principal motivo pra ele não ir é o primeiro, e mesmo que a gente aqui saiba que a Ferrari não vale nada enquanto equipe, essa coisa da "tradição" ainda conta muito pra muita gente, pra muitos pilotos, e pode contar pra ele. Se levarmos em conta o tratamento que o pai dele recebeu na Ferrari (virou Deus) e na Mercedes (anunciaram o Hamilton antes de anunciarem a aposentadoria dele, foi péssimo, foi como se tivessem chutado ele pra fora) não sei, não. O que eu acho é que todo mundo sabe a destruidora de carreiras que a Ferrari pode ser, como as coisas funcionam pra eles e como tratam seus pilotos, mas por alguma tendência masoquista ainda assim escolhem a Ferrari, ainda querem ir pra Ferrari.

Ou não. Ele pode fazer algo totalmente diferente pra não seguir os mesmos caminhos que o pai. Vamos ver no que vai dar.