25 de novembro de 2015

Octeto Entrevista: Clara Leão

Olá gente! Hoje é dia de Octeto Entrevista aqui no blog e trago para vocês uma convidada que é torcedora do Iceman.

Clara Leão é a nossa entrevistada deste mês que encerra a temporada de F-1 e do Octeto Entrevista. Então curtam o papo que tive com ela. 

1. Vamos começar com o básico, é claro. Fale-nos um pouquinho sobre quem é Clara Leão. 
Olá, me chamo Clara, tenho 28 anos recém completados, sou extrovertida, apaixonada pela vida e há 9 meses apaixonada por um certo alguém...rsrs. Amo filmes, esportes e sou adepta de uma boa leitura. 

2. Sua história com o automobilismo começou quando? E como? 
Bem, de fato não sei dizer precisamente quando foi, mas me recordo que aos finais de semana assistia às corridas de Fórmula 1 com o meu primo. Acho que tinha entre 10 e 11 anos. Agora, comecei a acompanhar de forma mais séria em 2006, quando vi no Globo Esporte um certo finlandês loiro e de olhos azuis. 

3. Seu piloto favorito na F1 é o finlandês Kimi Räikkönen. Conte para gente como esta torcida começou.
Acho que de forma involuntária acabei por antecipar esta pergunta, mas vamos lá...rsrs. Estava assistindo a grade esportiva da rede Globo, precisamente o Globo Esporte. Confesso, que no primeiro momento comecei a acompanhar pela beleza do piloto, mas em seguida vi que aquele loirinho era um excepcional piloto e que eu me tornaria sua grande fã em um futuro não tão distante. Depois de um tempo, comecei a procurar por corridas e pela vida dele. 

4. Mulheres e automobilismo: como você vê esta relação? A presença das garotas é grande, seja como jornalistas especializadas, dirigentes, engenheiras, blogueiras e/ou torcedoras. O que você acha desta visão feminina sobre o esporte?
Eu acho ótimo que tenha a presença de nós mulheres pelo automobilismo, mas confesso que prefiro levar as coisas de uma forma mais leve, digo, sei que há preconceito em alguns esportes e neste há e há muito, mas procuro não entrar em provocações. Nós mulheres não precisamos provar para ninguém que podemos fazer as mesmas coisas que os homens, nós simplesmente fazemos e sempre fazemos bem feito. Na realidade, eles têm medo das mulheres, pois pensam que podemos “ roubar-lhes” o lugar. Em relação à visão feminina sobre o automobilismo é aquela coisa, existem boas e más profissionais, fãs e aquelas pessoas que se dizem fãs denegrindo a imagem dos pilotos, mas de uma maneira geral, o fato de termos alcançado espaço no “mundo dos machões” é uma evolução, mesmo que pequena. 

5. Ainda sobre a questão da mulher no automobilismo, o que você consideraria como o grande empecilho para a chegada de uma representante feminina às pistas da F1?
O preconceito pelo simples fato de sermos mulheres. Desde os primórdios que o automobilismo é tido “como um esporte de homens feito para homens”, não sei quem foi o ser irracional que disse isso, mas definitivamente ele era desprovidi de cérebro. Não vejo a curto prazo uma representante feminina na F1, teremos no máximo piloto de testes. Há muitas barreiras a serem superadas e preconceitos a serem combatidos. 

6. O fato de ser garota e curtir um esporte predominantemente masculino já fez com que você fosse vítima de algum tipo de preconceito?
Com certeza, porque sempre há um idiota com uma piada mais idiota do que ele. Não me importo, porque sempre entendo mais de futebol e Fórrmula 1 do que os autores das bobagens. Pra descontar faço com que eles passem alguma vergonha por não saberem de algo relacionado ao esporte. 

7. No domingo chegaremos ao final de mais um Mundial de F1. Na sua avaliação, o que marcou este campeonato de 2015?
Eu detestei este ano. A Mercedes dominou de ponta a ponta e o Kimi não foi tão bem, algumas vezes por culpa dele e outras milhares por conta daquele time que não merece ser citado. O que me marcou foi a superioridade da Mercedes e nunca vi o Hamilton com tanta força psicológica, o inglês deu show.

8. No Brasil ao falarmos de automobilismo, especialmente de F1, há muito preconceito quando o torcedor revela sua admiração por um piloto estrangeiro e não um nacional. Como você vê esta situação?
Acho que a opinião é livre, não tem nada a ver torcer para um piloto nacional ou optar por um de nacionalidade estrangeira. Gosto é gosto e não se discute. Aliás, as pessoas no Brasil têm dificuldade em aceitar a opinião alheia. Lido bem com o fato de torcer pelo Kimi e a opinião dos outros é dos outros. 

9. Muito se tem comentado sobre o fato das corridas estarem chatas, até os próprios pilotos já mencionaram isto nesta temporada. O que você acha que tem faltado à F1? Como você acredita que ela pode ser melhorada?
Acho que falta emoção, falta bom senso, a Fórmula 1 está monótona. Primeiro eu aumentaria os cavalos dos carros (potência), depois pararia de punir os pilotos por acidentes de corridas bobos e por fim, eliminaria os circuitos que não têm ponto de ultrapassagens. Desculpe a sinceridade, acho Mônaco linda, mas a pista é chata, a corrida parece um carrossel. Ok, ok, a gente deixa Mônaco, rsrsrs... mas vamos tirar as demais, ou pelo menos parte delas. 

10. Se você tivesse que descrever Kimi Räikkönen para alguém que não o conhece, explicar o motivo pelo qual torce por ele, o que você diria?
Um cara humano, que sabe curtir a vida e que principalmente não se importa com a opinião alheia, acho que esta última característica poucas pessoas têm. Ah, rsrsrs, já ia esquecendo, adora coisas que contenham álcool....kkk 

11. Agora um momento mulherzinha (rsrsrs): monte o seu TOP 5 dos pilotos mais sexy do automobilismo. 
Eu só acompanho a F1 entao vamos lá: 1 - Kimi Räikkönen anos luz à frente de todos rsrs; 2 - Jenson Button; 3 - Nico Hulkenberg;  4 - Nico Rosberg; 5 - Fernando Alonso.

12. Como você conheceu o Octeto Racing Team?
Eu estava procurando notícias sobre o Kimi, digitei no google e apareceu o Octeto. Desde lá que faço parada obrigatória aqui. 

13. Somos personalidades diferentes aqui no Octeto. Juntas, personalizamos o blog. Como você enxerga cada uma das “diretoras da equipe” mais louca do mundo do automobilismo?
Acho a Lud mais passional, rsrsr, me divirto quando ela “briga” com o Kimi e no outro dia ele consegue um bom resultado...kkk; A Lu é a mais doidinha, mas também gosto posts da Tati em defesa do Alonso....kkkkkk . 

14. Se você fosse chefe de uma equipe de Fórmula 1 e pudesse contratar dois pilotos que fazem parte do Octeto Racing Team (Kimi Räikkönen, Fernando Alonso, Sebastian Vettel, Jenson Button, Nico Rosberg, Jarno Trulli, Jacques Villeneuve, Juan Pablo Montoya ou David Coulthard), qual seria a sua dupla e por quê?
Eu gostaria de ver o lorde Coulthard e o Kimi na minha equipe. Não vi muito o Coulthard pilotar, mas sempre gostei dele. O Kimi porque tem todas as características de um grande piloto, só acho que ele deveria se posicionar mais, mas isso vai de personalidade. 

15. O que você acha que o blog do Octeto trouxe de diferente para a sua maneira de ver a F-1?
O que mais gosto do blog é a sua imparcialidade. Não gosto de pessoas passionais na hora de passar a notícia. A imprensa brasileira, por exemplo, tem um péssimo hábito de distorcer a notícia. Então, por mais que goste de um piloto, aprendi no blog que ele também erra e não é sempre o coitado da história. Saudações ao FM...rsrsrs...

********

Clara, adorei o bate-papo. Muito obrigada por participar, por curtir nosso blog e pelas palavras carinhosas. E não se preocupe, você não é a única que não curte Mônaco, estou contigo nesta! rsrsrs...

Galerinha, agora o Octeto Entrevista só volta em 2016. Até lá!

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: