17 de novembro de 2015

Mudança urgente

Após sonolento GP do Brasil, Hamilton clama por F1 mais empolgante e Vettel pede carros mais rápidos

“Algo tem de mudar”, defende Lewis Hamilton depois de uma corrida pra lá de aborrecida no último domingo em Interlagos. Na visão do britânico, é difícil empolgar os fãs com uma prova sem ultrapassagens, como se viu no Brasil. Sebastian Vettel sugeriu mudanças para deixar os carros mais rápidos, algo que deve acontecer só para 2017

O mais chato GP do Brasil dos últimos tempos levou os principais pilotos do Mundial de F1 a uma conclusão até óbvia: a categoria precisa mudar seus rumos. O enfado geral depois de uma corrida cinza e desprovida de qualquer grande emoção no último domingo em Interlagos se reflete também na opinião dos campeões da década: Lewis Hamilton e Sebastian Vettel.

Em pauta, a discussão entrou na seara da falta de ultrapassagens na F1 atual, algo que ficou nítido em Interlagos. Exceção feita a Max Verstappen, que brilhou e fez grandes ultrapassagens ao longo da corrida, o restante da disputa foi praticamente um marasmo completo. Hamilton, que não conseguiu superar Nico Rosberg no GP do Brasil e terminou em segundo, foi explícito em sua queixa e disse: “Algo precisa mudar, vocês já sabem”.

“Os grandes chefes da F1 tomam decisões e às vezes acertam, outras, nem tanto. Em algumas corridas você pode ultrapassar, e isso te permite ter uma boa prova. Obviamente, falo de lugares como Austin, ali tivemos uma corrida decente”, recordou o britânico, fazendo menção àquela que é considerada por muitos como a melhor corrida da temporada 2015, que caminha para seu desfecho dentro de menos de duas semanas, em Abu Dhabi.

Sobre o GP do Brasil, Hamilton foi mais um a lamentar a falta de ação no domingo e deixou claro que até prefere não dominar o esporte de forma absoluta. Tudo em nome da competição pura e simples e da diversão dos espectadores e fãs da F1.

“Me coloco na pele dos fãs e imagino que não é algo muito interessante de ver. Sempre é legal quando você está na frente, como nós estamos há algum tempo, mas de qualquer forma, é sobre competir, é disso que se trata. E essa mudança provavelmente seria vista como positiva”, afirmou.

Por sua vez, Vettel defendeu uma F1 mais rápida. A categoria, em conjunto com a FIA, trabalha em um pacote de mudanças de regras que devem proporcionar um carro cerca de 5 a 6s mais rápidos. Mas tudo só será colocado em prática para o Mundial na temporada 2017. 

“Precisamos de melhores pneus e ser mais rápidos. Os pilotos querem estar mais rápidos e a solução é simples. Infelizmente, é um tema político e há muitos interesses distintos entre a gente, as equipes e os demais. Se não podemos falar, é difícil que haja progresso”, salientou o alemão, que foi endossado por Rosberg, vencedor em Interlagos. “Temos de melhorar o esporte. É sempre difícil ultrapassar na F1. O DRS ajudou a melhorar, mas ainda precisamos trabalhar”, declarou o bi-vice-campeão. 

Fonte: Grande Prêmio

Há tempos a gente comenta sobre isto por aqui. Quem curte automobilismo quer ver disputas, não apenas um cara vencendo toda vida. Isto é sempre chato, não importa se você torce ou não para aquele piloto. 

O domínio de uma só equipe acaba com a competitividade e é disto que o esporte é feito. E sim, se está chato para os pilotos, imagine para nós?

Algo precisa ser feito para que a competitividade volte. Mudança de regras, inclusão de um segundo fornecedor de pneus, não sei, mas algo precisa ser feito.

Beijinhos, Ludy

Nenhum comentário: