Octeto Entrevista: Gisele Vasconcelos

Olá pessoal! Mês passado as coisas se complicaram e acabei não conseguindo fazer o Octeto Entrevista, mas este mês estamos de volta e com um papo mega bacana.

A entrevistada da vez é a Gisele Vasconcelos, torcedora do bicampeão Lewis Hamilton.

Conversei com a Gi e o papo ficou muito legal. Leiam com carinho porque vale a pena. #garanto


1. Vamos começar com o básico. Conte-nos um pouquinho sobre você.
Eu sou a Gisele. "Gigi" por personalidade, apenas "Gi" por simplicidade. Estudei Letras por amor às histórias; Direito por amor ao debate. As pessoas dizem que sou um pequeno paradoxo. Nasci e cresci no sul, mas não tenho sotaque. Eu adoro velocidade e automobilismo, mas me recuso a pegar num volante. Adoro viajar pra longe, mas entro em pânico com longas distâncias. Não gosto de altura, mas sempre escolho o assento da janela no avião. Sou uma personagem de Almodóvar com o texto do Woody Allen.

2. Quando o automobilismo se tornou parte da sua vida?
Eu poderia dizer que foi quando eu conheci o Jenson Button! Mas tudo começou por causa do Galvão Bueno! (Choquei a sociedade!) Era um daqueles GPs da madrugada e o Galvão começou a falar de umas regras do campeonato. Pareceu muito legal! Daí apareceu o Jenson Button. E eu já queria saber tudo sobre o esporte (e sobre aquele piloto inglês da Brown). Meus pais gostavam muito do Senna e a morte dele fez o esporte desaparecer lá de casa. Esse momento foi de redescoberta da F1.

3. Seu piloto favorito na F1 é Lewis Hamilton. Como começou esta torcida pelo bicampeão?
Eu comecei a torcer pelo Lewis quando ele venceu o Massa! Hahahaha Tô brincando! Foi quando o Button foi pra a McLaren. Naquela época resolvi ter um "time" e escolhi a McLaren (quer foi uma das equipes do Senna). Comecei a acompanhar as corridas e tudo sobre os pilotos da escuderia. E acompanho os dois até hoje. Eu acho que eu entendo o Lewis... Não acho que ele é egoísta e mimado como as pessoas falam... eu vejo um bom coração mal compreendido hahaha

4. A primeira fase do campeonato 2015 se encerrou no último domingo com o GP da Hungria. A F1 agora entra em suas férias de meio de temporada. Hamilton é o líder e tem como seu principal adversário, o companheiro de equipe, Nico Rosberg. Quais as suas expectativas para a segunda etapa do Mundial a partir da Bélgica, no final de agosto?
Férias pra quê, né?! Hahaha Ai... Eu sou uma otimista. O GP da Hungria foi uma loucura. E terminou com um resultado esquisito. Não foi um bom resultado. Mas okay... SPA é um dos meus circuitos favoritos e lá tudo pode acontecer. Hamilton já ganhou esta prova com a McLaren e já fez uma pole com a Mercedes... estou torcendo muito por uma vitória!

5. Mulheres e automobilismo: como você vê esta relação? O que você acha da visão feminina sobre o esporte?
Eu adoro! Acho que tem tudo a ver! É um esporte tão organizado, clássico, e ao mesmo tempo tão emocionante, frenético e imprevisível. Não vejo algo mais feminino que isso. E temos ocupado o lugar nas arquibancadas! A ideia de que mulher só vai ao autódromo pra segurar guarda-chuva ou guarda-sol pra piloto já era. Ter uma mulher comandando uma equipe já é um sinal de mudança. Pode parecer bobagem, mas eu acho isso uma conquista enorme. Sobre a visão feminina: eu acho que humaniza o esporte. Deixa de ser apenas: "meninos e seus brinquedos". Acredito que as mulheres enxergam os homens que estão por trás do capacete. Não só o talento como piloto, mas também o indivíduo.

6. O fato de ser garota e curtir um esporte predominantemente masculino já fez com que você fosse vítima de algum tipo de preconceito?
É complicado. Não é explícito. Mas sempre é preciso provar mais do que os homens tudo aquilo que você fala. Existe sempre uma suspeita "ah! Como assim? Deixa-me ver se é isso mesmo... Você não pode saber tanto assim sobre isso... Não deve ser bem assim..." As mulheres são sempre questionadas sobre suas verdades.

7. Você tem alguma história marcante que envolva o automobilismo para compartilhar com a gente? Pode ser um momento engraçado, feliz, decepcionante.
Meu primeiro GP do Brasil. Eu ganhei os ingressos num concurso. Quase não acreditei quando escolheram a minha resposta como a melhor. Tinha sido um ano difícil e foi um grande presente. E tem também o dia do GP do Canadá de 2011. Que foi a melhor corrida que já vi na vida. Aconteceu de tudo naquele dia. Até uma vitória, que parecia impossível, do Button. Agradeço até hoje por ter parado pra ver! Foi um dia histórico. Ainda espero por uma corrida capaz de superar essa em momentos inéditos e emocionantes.

8. No Brasil ao falarmos de automobilismo, especialmente de F1, há muito preconceito quando o torcedor revela sua admiração por um piloto estrangeiro e não um nacional. Como você vê esta situação?
Eu acho que é histórico. O Brasil teve seus ídolos no esporte... Quando o Senna morreu, logo tentaram passar o posto de ídolo para o Rubinho, depois para o Massa... Mas acredito que os jogos de equipe da Ferrari e o escândalo envolvendo o Nelsinho Piquet fortaleceram essa imagem do piloto brasileiro "bonzinho" que é usado para beneficiar um "estrangeiro malvado". Ok. Eu não sou a favor do jogo de equipe. Entendo que fere o "fair play"... mas acho uma bobagem esse preconceito. É tão raso. Eu até entendo que a mídia faz o seu papel "patriota", mas não gosto quando desmerecem os pilotos estrangeiros. Se eles acham legal o estrangeiro admirar o brasileiro, que maldade há em fazer o caminho inverso? O preconceito só fomenta algo ruim. Não condiz com a mensagem do esporte.

9. Uma pergunta polêmica agora, quem foi o maior piloto da F1 na sua opinião? 
Ayrton Senna. Eu me lembro de muito pouco. Eu não entendia nada. Mas era sempre emocionante. E foi um choque ver o acidente que tirou a vida dele. Mas revisitando sua história, graças aos arquivos disponíveis por aí... não tem como não ver quão incrível ele era. Ouvir o tema da vitória me emociona até hoje. 

10. Além da F1, você curte alguma outra categoria do automobilismo? 
Eu tentei acompanhar a Indy e a NASCAR, mas não consigo amar. A F1 tem todo o meu coração. 

11. Agora um momento mulherzinha (rsrsrs): monte o seu TOP 5 dos pilotos mais sexy do automobilismo. 
Gente! Que difícil! Vou colocar os bonitinhos também, tá?! hahaha 
1. Jenson Button; 
2. James Hunt; 
3. Fernando Alonso (tá tão bonito esse moço!); 
4. Kimi Räikkönen; 
5. Lewis Hamilton (só pra rolar uma polêmica! Ah! Ele tá super estiloso, gente!). Aqui era pra ser o Nico! Hahaha (eu amo o Nico! Só não o quero na frente do Lewis :P). 

12. Como você conheceu o Octeto Racing Team? 
Eu não lembro o motivo, mas encontrei pelo Google... e do nada passou a fazer parte da minha vida! Eu amei porque era feito por garotas, mas não só para garotas! Não era um blog que só falava dos pilotos bonitos, mas também tinha essa parte hahaha! Eu me identifiquei e não me senti mais só neste mundo tão masculino. Sério! Vocês são muito importantes! 

13. Somos personalidades diferentes aqui no Octeto. Juntas, personalizamos o blog. Como você enxerga cada uma das “diretoras da equipe” mais louca do mundo do automobilismo? 
A Lu tem os olhos do time. Sempre pega aquele detalhe que ninguém viu no look das ladies. Eu amo os posts! E me divirto muito! (Risada maléfica!) Hahahaha 
A Tati é o coração da equipe: acho que até torcer pro Alonso é proposital. Só poderia vir de alguém que tem o coração pulsando forte. Deve ter um sangue espanhol aí, hein?! Hahaha Eu me identifico muito! 
A Ludy tem faro jornalístico e não nega! Faz o blog girar! Dedicada e apaixonada pelo automobilismo! Difícil ela já não saber a notícia. Tá sempre trazendo as notícias na hora! Posta até do celular! hahaha 
Eu acho que vocês formam um time perfeito. Todas têm um pouco de cada uma, mas cada uma traz mais forte um lado. Sozinhas poderiam formar um "corpo", mas é o trio que faz o blog ter alma. 

14. Se você tivesse que trazer algum novo leitor para o Octeto Racing Team, como você tentaria convencê-lo? 
Acho que não precisa muito esforço! O blog é maravilhoso! Eu mostraria que é um blog feito por pessoas que amam o automobilismo. Vocês são reais. Vocês torcem, vibram pelos pilotos de vocês. Todos sabem por quem vocês torcem, mas isso não atrapalha. Não existe maldade ao falar dos outros pilotos. Eu amo! E o blog ainda faz você conhecer pessoas queridíssimas. 

15. O que você acha que o blog do Octeto trouxe de diferente para a sua maneira de ver a F-1? 
Ele é um sopro de esperança para as mulheres que gostam de automobilismo: "ei! vocês não estão sozinhas!" O blog me mostrou que mulheres podem e devem gostar e falar de F1... e que falar sobre a beleza dos pilotos não diminui o seu conhecimento ou compromete sua análise sobre uma corrida. O blog de vocês, com cada uma torcendo por um piloto, mostra que não existem inimigos, mas sim adversários. Eu passei a ver a F1 ainda mais como um esporte, e também como uma grande família. 

********

Gi, amei a sua entrevista. Também amo histórias e temos em comum a faculdade de Letras. ;) A gente percebe pela forma que você escreve como isto faz parte da sua personalidade. #bacana

Muito obrigada por aceitar o convite, pelo carinho nas palavras, por ser nossa leitora e se sentir à vontade por aqui! Valeu!!!!

É isto por hoje gente, espero que tenham curtido. No mês que vem teremos mais!

Beijinhos, Ludy

Comentários

Gisele disse…
Aiii! Sou eu! Hahhahahaha Ludy! Eu que amei! Que honra!
Ai, que legal! Povo de Letras é muito amor! <3
Mais uma vez, muito obrigada pelo convite! Adorei compartilhar um pouco da minha percepção sobre este mundo que amamos! E continuem com este blog maravilhoso! Sempre trazendo informações sobre o automobilismo, mas de um jeito totalmente especial. Adoro vocês! Beijos!
Queridaaa e companheira!!!

Aqui em casa me dizem que eu deveria deixar a nutrição e ir para o direito!!! hehehehehe
Quem sabe um dia?!

Bom, quero agradecer o carinho!!!! Ameii!!!!

Obrigada tb por participar do nosso Octeto!!!

Bjusss, Tati

Postagens mais visitadas deste blog

Feliz Natal!

Mas logo o Maradona??

Bastidores da Nascar