Formula E

Sequência de problemas e erros colocam vitória do eP da Argentina nas mãos de Félix da Costa. Piquet é terceiro

O eP da Argentina deste sábado (10) foi completamente insano. Não que a loucura não tivesse se apresentado até aqui na temporada, mas o que aconteceu no circuito de rua de Puerto Madero foi fora de série. Na parte final da corrida, as suspensões de Sébastien Buemi e Lucas Di Grassi quebraram, o líder seguinte, Nick Heidfeld, teve de cumprir punição por exceder limite de velocidade dos boxes, deixando a vitória no colo de António Félix da Costa. Primeiro triunfo do português na F-E; quarto vencedor em quatro provas.

A doideira no eP fez com que pilotos que passaram bastante tempo atrás no pelotão conseguissem terminar nas posições de frente. Nicolas Prost pouco apareceu na corrida, era mero coadjuvante até poucas voltas do fim, quando apareceu na terceira colocação, brigando com Vergne.

Logo atrás, Nelsinho Piquet somou mais um pódio, agora na terceira colocação. Algo que nem o próprio piloto acreditou. Piquet se assustou quando disseram no rádio da China que ele havia terminado no terceiro lugar. O pódio veio na última volta, após Jean-Éric Vergne atacar Prost e passar direto na curva, perdendo ainda mais duas posições, para Jaime Alguersuari e Bruno Senna.

 O espanhol Alguersuari ficou com o quarto lugar após andar nas primeiras posições durante toda a prova. Dos primeiros, é o que menos lucrou em termos pragmáticos, já que largou no segundo lugar.

Senna aproveitou do erro de Vergne e somou mais alguns pontos, importantes no campeonato. Significa mais uma prova de recuperação do piloto da Mahindra, que fizera algo parecido no Uruguai.

A F-E volta em 14 de março, com os carros desfilando nas ruas de South Beach, em Miami.

Confira como foi a corrida:

Nick Heidfeld resolveu mergulhar logo na primeira curva da prova, se jogando no hairpin e tocando de leve em Jaime Alguersuari, mas ficando com a segunda colocação. Aproveitando, Sébastien Buemi conseguiu abrir um pouco no primeiro posto.

Logo atrás, na sétima colocação, António Félix da Costa forçava em cima de Jean-Éric Vergne, que conseguiu segurar. Com problemas, Michela Cerruti foi fazer uma visita aos boxes.

Quem não pode se manter foi Sam Bird, que não teve como resistir a uma passada sensacional de Lucas Di Grassi na segunda volta.

Atrás, brigas sensacionais pela 15ª colocação. Bruno Senna se beneficiou, passou muito bem por Jarno Trulli e Marco Andretti, com os três se acertando para evitar uma batida que parecia inevitável em dado momento. Mas Senna saiu com um pedaço de carro solto, embora não comprometesse seu ritmo.

Com seis voltas, Heidfeld já impunha um ritmo forte, pressionando Buemi. No giro seguinte, Di Grassi se lançou na curva e passou Alguersuari, ficando claro que encostaria nos dois dianteiros.

 Outro que passou foi Félix da Costa, deixando Vergne para trás e se aproximando rapidamente da Virgin guiada por Bird.

Não demorou duas voltas até que Di Grassi tivesse condições de ficar bem próximo de Heidfeld, facilitando uma escapada da e.dams de Buemi.

A ultrapassagem do líder do campeonato aconteceu na volta 15, exatamente na mesma freada em que passou por Alguersuari. Di Grassi retardou o freio e colocou de lado. Heidfeld evitou a batida e ficou para trás.

Só que a perda da segunda colocação não funcionou bem para o alemão, que errou na curva seguinte. Alguersuari e Bird se aproveitaram, Félix da Costa tentou se engraçar e também passar, mas Heidfeld se segurou.

Na volta seguinte, batida de Karun Chandhok e safety-car chamado à pista. Enquanto os pilotos entravam nos boxes para trocar o carro, os líderes já haviam passado e acabaram demorando a entrar. Buemi e Di Grassi, então líder e vice, ficaram presos atrás de Cerruti, 18ª, e levaram alguma sorte em não perderem ao menos uma posição.

O retorno dos boxes foi conturbado. Primeiro, Senna ficou preso na saída do pit com Tung parado em sua frente. Depois, com todos na pista, o grid estava desordenado, confundindo quem queria saber que colocação precisamente cada piloto ocupava.

Enquanto a confusão dominava a direção de prova, a corrida já atingia sua sétima volta em safety-car. Restavam 12 giros para o final.

A relargada aconteceu na 23ª volta com Buemi, Di Grassi, Heidfeld, Félix da Costa, Bird, Alguersuari, Nicolas Prost, Vergne, Abt e Oriol Servià nas dez primeiras colocações.

Então, o acontecimento que mudaria a corrida: Buemi atacou a zebra e quebrou a suspensão, ficando para trás. Dessa forma, a liderança caiu na mão de Di Grassi, com Heidfeld logo atrás e ainda com um FanBoost.

Só que na volta 26 foi a vez de Di Grassi bater. Também após quebra de suspensão na chicane. Ele bateu de lado no muro e deixou para trás a chance de abrir ainda mais na liderança do campeonato.
Bird acabara de passar Félix da Costa pela então terceira colocação, mas recebeu um drive-through por ter feito uma parada nos boxes abaixo do tempo exigido.

Dessa forma, a sorte enfim parecia ter sorrido para Heidfeld, que viu a liderança cair em sua mão.

Vergne atacou Alguersuari pela terceira colocação, inclusive utilizando o FanBoost, e chegou. O ataque foi dado pelo francês, mas Alguersuari não aliviou. Os dois se tocaram, mas Vergne, ainda reclamando, levou a melhor.

Até que a sorte de Heidfeld deu adeus de novo. O alemão foi punido por exceder o limite de velocidade nos pits e teve de fazer um drive-through no 32º giro. A vitória, então, foi jogada no colo de Félix da Costa.

Não que as confusões tenham parado por aí. A três voltas do fim, uma envolveu Prost, Abt, Alguersuari e Piquet. Prost se saiu melhor, ficando à frente dos outros três, com Abt, Alguersuari e Piquet atrás.

Em seguida, Abt e Alguersuari se tocaram, com o alemão levando a pior. A batida acabou com a corrida dele e da Audi Abt.

Prost, então, passou Vergne. Com o ex-F1 tentando se recuperar em seguida, errou, passou direto na curva e acabou perdendo posições para Piquet - que passara Alguersuari no meio tempo -, o próprio espanhol e Bruno Senna, em mais uma corrida de recuperação.

Vitória de Félix da Costa, quarto vencedor em quatro corridas da F-E. Prost veio em segundo, com Piquet fechando o pódio. Alguersuari, Senna e Vergne vieram atrás, com Bird, Durán, Heidfeld e Servià fechando o top-10.

Os dois pontos dados ao dono da melhor volta ficaram para Bird: 1min11s540.


A quarta etapa da temporada da F-E acontece em dois meses, dia 14 de março, nas ruas de Miami, nos Estados Unidos.
(fonte: Grande Prêmio)

Bjuss, Tati

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para Lu... um Feliz Aniversário!!!!!!

Lu, parabéns pelo seu dia!!!!