Domínio e barulho

Ecclestone prevê que domínio da Mercedes dure mais três temporadas e avalia: “Não podemos esperar três anos”

Depois de assistir a Mercedes dominar facilmente a temporada 2014 da F1, Bernie Ecclestone teme que a fábrica de Brackley continue a mandar no esporte nos próximos anos. 

Após anos de domínio da Red Bull, a F1 viu a Mercedes acertar em cheio no projeto do motor V6 turbo e comandar — com muita facilidade — as corridas de 2014.

 Em busca de uma reação, as fábricas rivais encontraram uma brecha no regulamento da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) que vai permitir o desenvolvimento dos propulsores ao longo do ano. Ainda assim, Ecclestone acredita que apenas uma nova mudança na regra poderá encerrar o domínio da Mercedes.

“Eu gostaria de ver a fórmula dos motores modificada”, disse Ecclestone em entrevista à emissora britânica Sky Sports. “Se você me disser que eu tenho um desejo, é isso que eu pediria”, continuou.

“A Mercedes fez um trabalho tão bom com essa unidade de força que deixou todos para trás e eu não consigo ver as pessoas recuperando isso rapidamente”, ponderou. “Talvez em três anos — não podemos esperar três anos. Ou dois anos, ou um ano”, continuou Bernie.

Nos últimos meses, a F1 viveu intensas discussões sobre o futuro dos motores. Os rivais de Brackey queriam ter a possibilidade de atualizar os propulsores, opção vetada pela Mercedes. Entretanto, os times encontraram uma brecha no regulamento que vai permitir atualizações ao longo do ano.

“Esse negócio todo gira em torno do regulamento, então, se pudéssemos mudar o regulamento, teríamos mudado”, garantiu Bernie. “Mas nós precisamos de um acordo entre todos os times que entraram no campeonato e eles não vão concordar”, seguiu.

“Se você está com Mercedes, a última coisa que vai querer fazer é mudar”, defendeu.

Por fim, o dirigente voltou a criticar os V6, afirmando que os novos motores não são empolgantes o bastante para os fãs.

“Acho, genuinamente, que se fosse possível que esses motores produzissem o que os V8 produziam, isso aconteceria. Mas não é possível com essa unidade de potência”, ponderou. “Acho que é uma obra mágica de engenharia, mas, na minha opinião, não é realmente com o que o público está preocupado. Eles querem ver uma boa corrida, preferencialmente com muito barulho”, concluiu.

Fonte: Grande Prêmio

Nada de diferente, sempre alguém se destaca e os outros correm atrás para alcançar. já foram muitas equipes e essa é a chance da Mercedes. Mas, sobre o barulho isso é verdade. A F1 virou tênis, se o amiguinho do lado falar muito alto na arquibancada, você não ouve o carro no outro lado da pista. Um absurdo!

By Lu

Comentários

Postagens mais visitadas