Mesmo companheiro ano que vem

Button acredita em permanência de Hamilton na McLaren

Questionado nesta quinta-feira sobre a especulação, incendiada pelo ex-chefe de equipe e atual comentarista do canal britânico BBC, Eddie Jordan, de que o companheiro Lewis Hamilton estaria perto de assinar contrato com a Mercedes para 2013, Jenson Button afirmou estar surpreso, ao mesmo tempo em que disse acreditar na permanência do campeão de 2008 na McLaren.

De acordo com o vencedor do GP da Bélgica, Hamilton terá mais garantias de lutar por vitórias e títulos na F1 caso siga na equipe que o apoiou durante toda a carreira, inclusive nas categorias de base.

“Fiquei surpreso em ver o que eu li e também não tenho nenhuma pista se há alguma verdade nisso tudo. Mas acho que vou ter o mesmo companheiro de equipe no ano que vem”, previu o inglês.

“[A McLaren] é a melhor escolha para ele”, defendeu. “Creio que, para todos nós, se você está no mesmo lugar por muito tempo, a relação pode ficar um pouco desgastada. Mas este é um grande time, que está sempre nos dando a oportunidade de brigar para vencer”, seguiu.

Na visão de Button, seu atual parceiro de time pode estar procurando por um novo desafio na carreira, algo que o próprio Jenson disse ter buscado quando aceitou mudar da Brawn para a escuderia de Ron Dennis no fim de 2009.

“Se vamos lutar pelo campeonato ou não, é uma outra questão, mas a McLaren sempre te dá a possibilidade de lutar para vencer corridas. Isso é o que um piloto quer. Mas um piloto também quer a empolgação e a adrenalina de novos desafios, razão pela qual eu vim para cá, em primeiro lugar. Não acho que nada vai mudar na dupla de pilotos para 2013, mas posso estar errado”, destacou.

Nesta quinta em Monza, Button também voltou a comentar a polêmica que Hamilton criou ao divulgar dados da telemetria da McLaren em seu perfil no Twitter após a classificação para o GP da Bélgica, no último sábado, com o intuito de justificar os oito décimos que tomou do companheiro no Q3.

No início da semana, o campeão de 2009 havia declarado estar “desapontado” com a atitude do colega, mas agora minimizou as consequências que o ato gerou.

“Ficou no passado. Eu achei que era importante dizer como me sentia, porque é muito fácil optar por não falar nada. Também achei que seria melhor, porque você pode esclarecer”, argumentou.

“Foi uma pena [o que aconteceu] e eu não vi Lewis depois da corrida ainda, para que pudéssemos analisar juntos a situação. Mas a corrida já passou e seguimos em frente”, resumiu.

O próprio Hamilton também tratou de ser sucinto ao comentar o assunto. “Não conversei com ele e não pretendo fazê-lo. Já superamos isso. Obviamente, não foi a melhor atitude e não vai acontecer de novo, portanto vamos seguir em frente e focar nesta corrida [GP da Itália]“, salientou.

Fonte: Tazio


Todo esse bundalelê em trono do Lewis na Mercedes. Estou no time do button: Lewis não sai da Mclaren. Vi comentários de que na coletiva Lewis desconversava enquanto Nico se esforçava para fazer cara de quem não sabia de nada quando o inglês foi perguntado sobre a Mercedes. Jornalistada louca procurando sinais em nuvens!

Silly Season atrasada? Tiveram um mês para especular e só vão especular agora? Acho que MS fica mais um ano.


By Lu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mas logo o Maradona??