28 de fevereiro de 2012

Sucessor

Williams evita falar sobre futuro, mas escolhe Parr como sucessor natural

Frank Williams, um dos principais e mais antigos chefes de equipe da F1 atual, elegeu seu sucessor para comandar a escuderia de Grove após sua retirada da categoria. Em entrevista à revista britânica ‘F1 Magazine’, Williams, hoje com 69 anos, evitou falar sobre seu futuro, mas apontou Adam Parr, atual presidente da equipe, como o nome ideal para ocupar sua função.

Nascido em 16 de abril de 1942, Sir Francis Owen Garbatt Williams tem uma carreira de mais de 50 anos, sendo piloto antes de assumir a função que o consagrou perante o esporte mundial. Atualmente, Frank dirige uma equipe em baixa, principalmente depois dos resultados ruins obtidos nos últimos anos, sobretudo a partir de 2005, quando a BMW rompeu uma parceria de relativo sucesso com a escuderia.

Williams não escondeu que seu desejo é ver Parr ocupando sua função no futuro. “Se, por alguma razão, eu não puder fazer meu trabalho, Adam ocupará este espaço”, revelou o dirigente, prestes a completar 70 anos. Frank destacou a capacidade de Parr em gerenciar negócios e entende que tal qualidade pode ser vital para a tradicional equipe no futuro.

“Ele é jovem e está fisicamente em forma, como eu estava em sua idade. Ele não é um piloto, mas, de certa forma, isso é uma vantagem nesses dias nitidamente comerciais. Ele é muito bom tomando decisões financeiras e no trabalho em busca de custo-benefício. Ele é capaz de conduzir reuniões na F1”, comentou.

“Adam é um homem muito bom: totalmente honesto, trabalhador, muito eficiente e uma grande visão de marketing. E eu gostaria de dizer que ele é um rapaz muito inteligente e com forte tino para os negócios. Ele é advogado por formação, ele traz muita coisa consigo”, acrescentou.

Por fim, quando questionado sobre as razões de a equipe ter feito sua pior temporada na história, ao ter marcado apenas cinco pontos no Mundial de 2011, Frank falou que o maior culpado foi o deficiente FW33.

“Não sou engenheiro, mas vi muitos carros bons e muitos carros ruins, e os nossos não eram rápidos o bastante. Por que ele não era rápido o suficiente? Ele foi deficiente em muitas áreas. Mas nós estávamos completamente desprovidos do que é mais importante que tudo, a aerodinâmica. E, provavelmente, um pouco de potência”, complementou o tradicional dirigente, um dos últimos garagistas da F1 atual, ao lado de Peter Sauber.

Fonte: Grande Prêmio

Alguém terá que assumir a equipe. Tio Frank está "na capa da gaita", como se diz aqui no RS. Tem que ser uma pessoa comprometida em manter o melhor da Williams que é o espírito.

By Lu

4 comentários:

Aline Rodrigues disse...

É, mas... cadê os filhos dele?

Fernando Kesnault disse...

Resta saber se a equpe consegue viver mais uns 2 anos....

Aline Rodrigues disse...

Coveiro detected :rolazoio:

Milton Rubinho disse...

Capa da gaita foi otimo!rsrsrs

Agora, sera que esse Adam Parr tem jeito pra coisa::: Misteeeeeeeerio...