Encontro com Nelson

Nelson e nós!
Uma das primeiras alegrias do GP do Brasil 2009.
Na quinta-feira, fomos almoçar com o Nelson, memrbo importantíssimo do IC.
Um gentleman este nosso leitor.
Nelson, adoramos conhece-lo, obrigada pelo apoio!
Vick
(depois as meninas postam mais fotos deste encontro, esta foi a única que ficou em minha máquina)

Comentários

Nelson disse…
Tensão. Apreensão. Nervosismo. Ansiedade. Junto a todas essas coisas estava também um garoto a caminho do local combinado, quando o telefone toca: “Oi, a gente já está indo para lá”. “Já estou a caminho, pois minha casa é um pouco longe de lá”, ele responde, aliás, de tudo, praticamente, devo acrescentar. “Quando a gente chegar lá eu te dou um toque”. “Está bem”. Ele mal pudera acreditar que isso estava para acontecer mesmo, já havia perdido outra oportunidade por puro medo, tinha receio de deixá-las esperando, pois o bendito trânsito dessa cidade estava colaborando para o atraso. O restante da viagem passou que o garoto nem percebeu, tamanha a ansiedade crescente. Estava andando pelo estacionamento do local quando o telefone toca de novo, era ela: “A gente já está aqui, nos encontre na praça de alimentação atrás da Zelo”. “Ok”. Suspira aliviado, pois não se atrasara tanto. Alguns minutos depois, ele reconhece algumas faces, apesar de nunca tê-las visto antes. Esboça um aceno em direção à menina do telefone, ela o reconhece, cumprimentos comedidos, a timidez excessiva é algo com o qual ele tem de lutar contra.

Escolhido o local, todos se sentam e ela conta toda feliz da entrevista coletiva que assistira pela manhã, “Olha, você tirou foto até do Fisichella!”, observa o garoto. “Pois é, meu filho. Pelo menos uma para não falarem que não tirei”, o papo continua, falaram sobre o futuro do piloto preferido deles, creio que concordam que seja melhor ele abandonar a categoria que o tornou famoso, apesar de não quererem que isso aconteça. Ele fica surpreso, as outras meninas sabem o nome dele e se dispõem a conhecê-lo melhor, um poço de simpatia, todas. Ele se sente no meio de um podcast quando uma delas começa a ilustrar o que ele deveria falar à chefe, só não racha de rir por estar nervoso demais. Sabia que uma delas trabalhava no mesmo ambiente que ele, após a troca de referências “É quase concorrente nosso”. Uma pena, tem a certeza que seria agradabilíssimo trabalhar com ela. Papo vai, papo vem, o garoto não crê que está lá vivenciando isso, bom demais para ser verdade. Uma delas estava muito apreensiva, pois iria à entrevista coletiva de seu ídolo mais à noite, compreensível. Elas o chamam para acompanhar o treino no dia seguinte, ele até concorda que é barato, mas está numa situação financeira debilitada e a aula no dia seguinte ao treino, o trabalho no domingo e a necessidade de estudar para uma prova na segunda não o deixam desperdiçar o dia de folga, uma pena, ele teria adorado poder ir. Lembrança singela para a amiga que sempre o apoiou, fotos, mas como tudo que é bom dura pouco, chega a hora das despedidas.

O garoto agradece o encontro, querendo que tivesse durado muito mais tempo, encantado com a simpatia de todas elas, faz um agradecimento verbal – finalmente -, à amiga que sempre o apoiou por tudo o que ela fez por ele e deseja que a futura campeã possa comemorar já no domingo. E vai embora, feliz da vida, esperando que isso se repita futuramente. No momento, não sabia que um desempenho sofrível na prova à noite tentaria deixá-lo deprimido, mas a má performance não conseguiu abalá-lo, não naquele dia, aliás, nada conseguiria.

Finito.
Nelson....menino...estou passada!!! Vc tem um talento para cornista!!!! Adorei!!!!
Nós é que agradecemos por sua compreensão que nosso tempo estava corrido. Foi um prazer e obrigada pelo imenso carinho que teve conosco.

bjs, Ludy

Postagens mais visitadas