Rossi supera Lorenzo na Espanha

Em uma disputa de tirar o fôlego, Valentino Rossi e Jorge Lorenzo trocaram posições diversas vezes e travaram uma batalha épica nas duas últimas voltas, com o italiano levando a melhor na última curva e vencendo a etapa em Barcelona.

O duelo se desenhou desde a sexta-feira; a diferença entre ambos nunca foi superior a 0s3, e embora Lorenzo tenha iniciado a volta final na liderança, foi o piloto da moto nº. 46 quem levou a melhor.

A corrida

Na largada, Lorenzo manteve a liderança, seguido por Rossi e Stoner. Os três andaram praticamente juntos durante as cinco primeiras voltas. Mas no terceiro giro, o italiano conseguiu superar seu companheiro de equipe no final da reta principal e assumiu a ponta.

Nas voltas seguintes, a dupla da Yamaha justificou o desempenho apresentado desde a sexta-feira e se desgarrou dos demais concorrentes: em um ritmo muito superior aos demais, Rossi e Lorenzo dominaram a prova e parecia claro que a vitória seria discutida apenas entre ambos, que imediatamente passaram a ser o centro das atenções.

Restando 13 voltas para o fim, Rossi, que já ensaiava aumentar a vantagem para seu companheiro de equipe, cometeu um pequeno erro ao tentar buscar um melhor ritmo e permitiu que Lorenzo se aproximasse de vez. Antes mesmo de completar a volta, o espanhol reassumiu a liderança.

As posições foram alteradas, mas o cenário era o mesmo: Lorenzo não conseguia se livrar da pressão do italiano, que passou mais de dez voltas colado na traseira da Yamaha do espanhol, sempre em um ritmo alucinante.

A três voltas do fim, com uma bela manobra, Rossi superou novamente seu companheiro de equipe e retornou à liderança. Começava então um duelo de tirar o fôlego.

Lorenzo manteve-se muito próximo do italiano e a todo o momento se fazia aparecer no retrovisor da moto de nº. 46. Na abertura da última volta, diante de uma multidão que lotava as arquibancadas da reta principal do autódromo, o espanhol emparelhou e chegou a ficar à frente, mas quase desequilibrado, Rossi conseguiu sustentar a dianteira.

Por apenas três curvas: impetuoso, Lorenzo insistiu e mostrou arrojo ao deixar o italiano para trás e voltar ao primeiro posto. As últimas curvas foram de arrepiar: Rossi seguia enlouquecido atrás de seu companheiro de equipe e tentava a ultrapassagem a qualquer custo. Chegou a realizá-la na metade da volta, mas levou o troco em seguida. O público seguia em pé, tenso, prendendo a respiração.

Restavam três curvas para o final, e era impossível saber quem sairia como o vencedor da batalha. As motos predominantemente azuis e brancas seguiam praticamente lado a lado, o tempo todo.

Duas curvas, e Lorenzo mantinha com muito esforço a liderança que lhe valeria uma consagradora vitória em casa, diante de seus torcedores.

Mas na última curva, em um movimento incrível e arrojado, Rossi simplesmente impôs sua moto à frente de seu companheiro de equipe, na marra, balançando, entrou na reta na liderança e recebeu a bandeira quadriculada com míseros 0s095 de vantagem para o espanhol.

Casey Stoner, que sofreu forte pressão de Andrea Dovizioso durante quase toda a prova, chegou na terceira posição e completou o pódio; ambos terminaram à frente de Loris Capirossi.

Daniel Pedrosa, que chegou a andar em quarto, encerrou a corrida em sexto, fechando assim os seis primeiros colocados em uma corrida que contou apenas com os abandonos de Takahashi e Elias _ambos sofreram quedas e deixaram a prova.

Final:

1º. Valentino Rossi (ITA/Yamaha), 25 voltas em 43min11s897
2º. Jorge Lorenzo (ESP/Yamaha), a 0s095
3º. Casey Stoner (AUS/Ducati), a 8s884
4º. Andrea Dovizioso (ITA/Repsol Honda), a 8s936
5º. Loris Capirossi (ITA/Suzuki), a 19s831
6º. Daniel Pedrosa (ESP/Repsol Honda), a 22s182
7º. Colin Edwards (EUA/Tech 3), a 23s547
8º. Randy de Puniet (FRA/LCR Honda), a 25s265
9º. Mika Kallio (FIN/Pramac), a 31s797
10º. Nicky Hayden (EUA/Ducati), a 33s593
11º. Chris Vermeulen (AUS/Suzuki), a 36s683
12º. Alex de Angelis (SMR/Suzuki), a 36s874
13º. James Toseland (ING/Tech 3), a 39s433
14º. Marco Melandri (ITA/Hayate), a 44s788
15º. Sete Gibernau (ESP/Francisco Hernando), a 46s754
16º. Niccolo Canepa (ITA/Pramac), a 55s873
17º. Gabor Talmacsi (HUN/Scot), a 1min27s640

Não completaram:
Toni Elias (ESP/Gresini), 9 voltas
Yuki Takahashi (JAP/Scot), 0 voltas

Fonte: Tazio

Beijinhos, Ice-Ludy

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mas logo o Maradona??

Alonso em 2023

Roubou a cena!